Descrição de chapéu Coronavírus

Pressionado, governo do DF recua e flexibiliza restrições mesmo com avanço de Covid

De acordo com o governador, tratativas estão sendo feitas com o Ministério da Saúde para que haja uma ampliação na oferta de UTIs no DF

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Brasília

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), publicou neste sábado novo decreto ampliando as atividades econômicas que poderão funcionar no período que vigorarem as medidas de restrição devido ao agravamento da pandemia da Covid-19.

O decreto entra em vigor à 0h deste domingo (28) e tem validade até o dia 15 de março. O decreto anterior, divulgado desta sexta-feira (27), estabelecia regras menos flexíveis e não tinha prazo de validade.

Em entrevista neste sábado, as restrições devem seguir até o índice de ocupação das UTIs baixar dos atuais 95% para 85%. "A expectativa é que isso aconteça até sexta-feira (5)", afirmou Ibaneis.

Pressionado por diversos setores econômicos, Ibaneis Rocha recuou e ampliou o leque de atividades autorizadas a abrirem as portas, incluindo todo o segmento da construção civil, cartórios, hotéis, papelarias, bancas de jornal e até mesmo escritórios de profissionais autônomos, como os de advocacia e contabilidade.

Idosa é vacinada no asilo Bezerra de Menezes, em Brasília - Lucio Tavora - 18.fev/Xinhua

O governador informou que a quantidade de ônibus e trens do Metrô não será reduzida.

Ibaneis decidiu baixar o decreto após a ocupação dos leitos de UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo) alcançar 98% no DF.

Em um primeiro momento, no início da tarde desta sexta, o governador havia produzido um decreto com a previsão apenas de restrição noturna e partir da segunda-feira (1). Foi criticado nas redes sociais por parte da população e por adversários políticos.

Mais tarde, em novo decreto, ele decidiu antecipar as medidas e ampliar as restrições. Não proibiu, por exemplo, o funcionamento de “cultos, missas e rituais de qualquer credo ou religião", atividades que seguem liberadas na medida anunciada neste sábado.

Nas redes sociais, Ibaneis afirmou que “muitos” o perguntam porque missas e cultos são permitidos. Ele disse que no DF foi aprovada lei, questionado no Tribunal de Justiça, que define igrejas e templos como serviços essenciais. “Sou obrigado a cumprir”, disse.

De acordo com o governador, tratativas estão sendo feitas com o Ministério da Saúde para que haja uma ampliação na oferta de UTIs no DF.

Afirmou que até a sexta-feira (5) o GDF terá condições de ofertar mais 100 unidades, o que, segundo ele, baixará o índice de ocupação para 85%.

Ibaneis recorreu também às redes sociais para dar satisfação sobre um casamento previsto para este sábado à noite em Brasília, cerimônia em que são aguardadas 200 pessoas. Ele é um dos convidados. O noivo é filho do chefe de gabinete do Casa Militar do DF.

"Fui convidado, mas em respeito ao distanciamento social, não irei", afirmou o governador. "Especialmente neste momento em que as UTIs estão lotadas, peço a todos que evitem aglomerações e sigam o protocolo de segurança para que todos possamos conter o avanço do vírus."

Questionado se o início das medidas de restrição ficou para o domingo por causa da festa, o GDF informou que a decisão foi técnica: a data foi mudada para dar tempo aos comerciantes, principalmente, de se prepararem para o período de fechamento total. ​

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.