Descrição de chapéu Coronavírus

Após chegar perto do colapso em leitos públicos de UTI, DF decide antecipar e ampliar medidas de restrição

Suspensão de comércio e serviços não essenciais passa a valer 24h e se inicia a partir de 0h de domingo

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Brasília

Com apenas quatro leitos de UTI para Covid vinculados à rede pública disponíveis no fim da tarde desta sexta (26), o governo do Distrito Federal decidiu antecipar para 0h de domingo (28) a entrada em vigor de medidas de restrições a comércio e serviços, na tentativa de reduzir a transmissão.

Ficam suspensos eventos e aulas na rede pública e privada, além de cinemas e teatros, atendimento em shoppings (com exceção de farmácias e delivery) e comércio em geral, incluindo bares, salões de beleza, quiosques e construção civil.

Restaurantes também devem ficar fechados, com permissão para funcionar com serviços de delivery e retirada no local. A venda de bebidas alcoólicas também fica proibida após as 20h.

As medidas constam de decreto assinado pelo governador Ibaneis Rocha e publicado na noite desta sexta no Diário Oficial do DF.

Ficam excluídos do decreto apenas alguns serviços, como supermercados e padarias, postos de combustíveis, hospitais, clínicas, farmácias, lojas de conveniência e serviços de fornecimento de energia, água e coleta de lixo. Cultos e missas também são permitidos.

Mais cedo, o governador Ibaneis Rocha havia emitido um decreto que restringia o funcionamento do comércio não essencial das 20h às 5h a partir de segunda (1).

Agora, as medidas passam a valer por 24h.

Idosa é vacinada no asilo Bezerra de Menezes, em Brasília - Lucio Tavora - 18.fev/Xinhua

Segundo informações da assessoria do governo do DF, o motivo é a alta taxa de ocupação dos leitos, situação tida como "crítica".

Inicialmente, o governo chegou a anunciar que a medida valeria a partir de sábado ( 27), mas mudou a data em seguida para domingo (28).

Em entrevista a jornais locais, Ibaneis descreveu a medida como um "lockdown total".

Dados do painel Info-saúde-DF apontam que a taxa de ocupação de leitos públicos de UTI contra Covid estava em 98,8% às 17h50 desta sexta, no caso daqueles voltados a adultos.

Já somados os pediátricos, o índice era de 97,6%. Ao todo, havia 165 leitos ocupados, e apenas quatro ainda disponíveis, sendo dois para adultos e dois para crianças.

Mais tarde, com a abertura de novos leitos que estavam bloqueados, a taxa de ocupação caiu para 89% na rede pública na noite desta sexta –taxa, porém, ainda considerada alta. Na rede privada, a ocupação é de 88%.

O decreto não informa por quanto tempo devem durar as medidas. Segundo o texto, elas "podem ser reavaliadas a qualquer momento".

Após a publicação do decreto, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, informou ter conversado com Ibaneis, que recomendou a restrição da circulação de visitantes na Câmara dos Deputados, medida que será adotada pela Casa legislativa.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.