Descrição de chapéu Obituário Luiz Ferreira Martins (1935 - 2021)

Mortes: Educador, tinha orgulho de ter sido o 'pai da Unesp'

Luiz Ferreira Martins organizou a transformação dos institutos isolados em universidade

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A educação mudou sua vida e em retribuição queria mudar a educação do país. Nascido na zona rural de Itapetininga, Luiz Ferreira Martins dizia que seu maior orgulho foi idealizar a criação de uma das principais universidades públicas do Brasil.

Um dos seis filhos de uma família de trabalhadores rurais, Martins conseguiu uma bolsa de estudos no colégio Porto Seguro, na capital paulista. Depois de muito esforço para acompanhar as aulas na escola alemã, foi estudar medicina veterinária na USP e descobriu a vocação pela vida acadêmica.

Não chegou a exercer a profissão veterinária, porque preferiu dar aulas de histologia e embriologia. Aos 31 anos, tornou-se catedrático e foi trabalhar na Faculdade de Odontologia da USP, em Bauru.

Luiz Ferreira Martins idealizou e fundou a Unesp
Luiz Ferreira Martins idealizou e fundou a Unesp - Arquivo Pessoal

Convidado pela equipe do então governador Paulo Egydio, Martins assumiu o comando dos Institutos Isolados da Secretaria Estadual de Educação, que na época ofereciam cursos profissionalizantes de 2º grau. Nessa época, o professor teve a ideia de agrupá-los e criar uma nova universidade no estado.

Martins articulou a criação da Unesp (Universidade Estadual Paulista) e se tornou o 1º reitor da instituição, que hoje está entre as mais prestigiadas da América Latina.

“Ele se orgulhava muito de ver no que a Unesp se transformou, no prestígio da universidade. Ficou ainda mais orgulhoso quando os netos foram fazer graduação lá.”

Foi também secretário estadual de Educação, de 1979 a 1982, durante o governo de Paulo Maluf. Depois se elegeu deputado federal pelo PDS (Partido Democrático Social). “Ele entrou para a política, mas não gostou. Depois dessa experiência continuou estudando e se dedicou à docência.”

Martins morreu na noite de sábado (20) por complicações depois de ter sido infectado pela Covid-19. A reitoria da Unesp e a diretoria da Faculdade de Odontologia de Bauru decretaram luto oficial de 3 dias pela morte professor, que deixa 3 filhos, 8 netos e uma bisneta.

coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.