Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
28/06/2011 - 00h10

Fábio Penteado (1929-2011) - Um campineiro que presidiu o IAB

Publicidade

ESTÊVÃO BERTONI
DE SÃO PAULO

Numa área de 115 mil metros quadrados, Fábio Penteado projetou um prédio para abrigar o hospital-escola da Santa Casa. Boa parte da estrutura estava em pé nos anos 70, quando a obra parou por falta de verba. Nos anos 90, virou o fórum criminal da Barra Funda.

Leia sobre outras mortes

"O senhor visitou o prédio depois de ocupado pelo fórum?", questionaram ao arquiteto certa vez numa entrevista. Sua resposta foi: "Uma vez. A sensação foi terrível".

Sentimentos melhores vieram com outros projetos. Fábio foi o responsável, entre outros, pela sede da Sociedade Harmonia de Tênis, tombada por ser uma obra representativa da Escola Paulista, e do Centro de Convivência Cultural em Campinas (SP).

Campineiro, era filho de Joá Penteado, um industrial que deu início à fábrica de fogões Dako e foi sócio numa fábrica de lápis que acabou incorporada à Faber-Castell.

Formou-se em arquitetura nos anos 50, no Mackenzie, onde seria professor _devido à posição mais próxima à esquerda, de defesa da arquitetura humanista, foi demitido da faculdade em 1964.

De 1956 a 1962, escreveu artigos para a revista "Visão". Participou também da criação da revista "Projeto".

Atuante no IAB (Instituto de Arquitetos do Brasil), chegou a presidir a direção nacional nos anos 60 e o departamento de SP nos anos 90. Foi ainda diretor da Fundação Bienal de Arquitetura.

Continuava com "a cabeça a mil, como sempre foi", conta o colega César Sampedro, que trabalhou com ele. Fábio é descrito como crítico e de humor irônico. Morreu anteontem, aos 82, de câncer. Teve dois filhos e cinco netos.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página