Líder de negócio social de impacto em reciclagem é o Empreendedor Social do ano

Fundada por Guilherme Brammer Jr., a Boomera atua com economia circular para reciclar plásticos difíceis

São Paulo

O engenheiro de materiais e fundador da Boomera, Henrique Guilherme Brammer Jr., 42, é o campeão da 15ª edição do Prêmio Empreendedor Social, anunciado na noite desta segunda-feira (4), no Teatro Porto Seguro, em São Paulo.

Realizado há 15 anos pela Folha em parceria com a Fundação Schwab, entidade coirmã do Fórum Econômico Mundial, o prêmio é o maior concurso de empreendedorismo socioambiental da América Latina e um dos mais importantes do mundo.

O troféu foi entregue por Patrícia Ellen, secretária do Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo e representante da Schwab na cerimônia.

Guilherme Brammer, vencedor do prêmio Empreendedor Social, na principal categoria, durante a cerimônia do Prêmio Empreendedor Social, no Teatro Porto Seguro, em São Paulo - Eduardo Anizelli/Folhapress

"Dedico meu prêmio aos cooperados, que estão representados no carioca aqui e que têm a sua vida transformada através do lixo", disse o vendedor ao levantar o troféu. "Hoje são milhares de pessoas que vivem disso com sorriso no rosto. A gente sai impactado com o que essas pessoas conseguem com tão pouco, e que ajudam literalmente a limpar esse país."

Brammer criou a Boomera para valorizar e dar nova vida a dejetos que acabariam em aterros sanitários, a partir de pesquisa e desenvolvimento, design de produtos e logística reversa.

O negócio de economia circular une indústria, meio acadêmico e agentes ambientais para reciclar resíduos considerados difíceis e transformá-los em matéria-prima ou novos produtos.

O engenheiro paulistano disputou a categoria com Alcione Albanesi, 57, fundadora da Amigos do Bem, e Thomaz Srougi, 43, criador do dr.consulta.

MISSÃO

Em seu discurso de abertura da cerimônia, o diretor de Redação da Folha, Sérgio Dávila, defendeu a importância da premiação, que permite que a equipe mergulhe no universo do empreendedorismo social.

Para ele, essa missão demonstra que o jornalismo profissional, praticado pela Folha, ajuda a promover mudanças ao visibilizar ONGs e negócios sociais que transformam a realidade brasileira na educação, saúde, ambiente, desenvolvimento humano e inclusão.

“Essa missão ganha mais relevância num momento em que a sociedade e os pilares da convivência democrática moderna, como os direitos humanos, a liberdade de expressão e a imprensa livre, estão sob duro ataque”, afirmou o jornalista. “É função de um prêmio como o Empreendedor Social e de um jornal como a Folha de S.Paulo defender esses valores a todo custo. Eles formam aquilo que Otavio Frias Filho, idealizador do Projeto Folha, chamava de valores iluministas.”

OUTROS VENCEDORES

Também foram anunciados na noite desta segunda os vencedores do Prêmio Empreendedor Social de Futuro, do Troféu Grão e a Escolha do Leitor.

Na categoria de Futuro, destinada a líderes de até 35 anos de idade à frente de iniciativas em desenvolvimento, o campeão foi Gustavo Glasser, 35, fundador da Carambola.

Criada em 2013, a startup alia educação, tecnologia e inclusão social em programas de formação profissional que visam aumentar a diversidade nas empresas de TI. 

Em sua segunda edição, o Troféu Grão —voltado a líderes de organizações de impacto social sem fins lucrativos— foi entregue a Adriana Barbosa, 42, fundadora da Feira Preta e da PretaHub.

Negra oriunda de uma família matriarcal e empreendedora, a paulistana criou a PretaHub, uma plataforma de inventividades e criatividades pretas que desenvolve o maior festival de cultura e empreendedorismo voltado para afrodescendentes da América Latina, a Feira Preta.

Já na Escolha do Leitor, enquete de voto popular patrocinada pela Fundação Banco do Brasil, quem levou o troféu foi Alcione Albanesi, 57, fundadora da Amigos do Bem. Ela recebeu 69% dos quase 1,5 milhão de votos computados.

Desde 1993, a organização e negócio de impacto social capitaneada por Albanesi ajuda mais de 75 mil pessoas no sertão brasileiro, por meio de programas de geração de renda, substituição de moradias insalubres, melhoria na educação e na saúde e profissionalização.

Nesta 15ª edição no Brasil, o Prêmio Empreendedor Social tem patrocínio de Coca-Cola, Cervejaria Ambev, IEL, uma iniciativa da CNI (Confederação Nacional da Indústria), e Fundação Banco do Brasil. Conta com apoio do Instituto Porto Seguro. British Council, Faap, Fundação Dom Cabral, Insper e UOL são parceiros estratégicos.

Assista à cerimônia completa do Prêmio Empreendedor Social 2019:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.