Investidores sociais da Ambev discutem captação de recursos no Festival ABCR

"Facilitar o trabalho do outro é uma estratégia efetiva", afirma diretor de sustentabilidade

São Paulo

Em conversa no Festival ABCR 2020, nesta segunda-feira (29), representantes da cervejaria Ambev discutiram sobre o tema de captação de recursos na visão das grandes empresas.

Os participantes do bate-papo foram Richard Lee, diretor de sustentabilidade da Ambev, e Carlos Eduardo Pignatari Filho, gerente corporativo de impacto social da empresa. A sessão foi mediada por Bruno Barroso, fundador da plataforma Prosas de soluções para o terceiro setor.

Palestrante no Festival ABCR 2019. Em 2020, a conferência ganha versão 100% online
Palestrante no Festival ABCR 2019. Em 2020, a conferência ganha versão 100% online - Divulgação

Para Pignatari, o processo de captação de recursos exige responsabilidade dos dois lados, uma vez que se faz necessária a empatia para facilitar o trabalho do outro, apresentando o projeto de forma clara e eficiente.

“Empatia é fundamental, indo além do que se traz para a marca ou para a organização. A gente recebe dezenas de projetos por dia. Não rola mandar um arquivo de 120 páginas do seu projeto”, comenta Richard Lee.

“Precisa ser mais assertivo, mostrar o valor, o que a gente precisa saber. Facilitar o trabalho do outro, de quem avalia a proposta, não é só uma gentileza, é uma estratégia efetiva.”

Segundo Lee, é importante que, a fim de conseguir o patrocínio da Ambev ou de outra grande empresa, o captador tenha um pitch vencedor logo de início, elaborado em cima de uma análise das marcas da empresa e seus valores.

Isso porque a cervejaria recebe dezenas de formulários com pedidos de patrocínio diariamente, o que torna essencial que a apresentação primária seja concisa, organizada e relacione o projeto com os valores das marcas da Ambev.

Conversa com investidores sociais da Ambev no Festival ABCR 2020. De cima para baixo, Carlos Eduardo Pignatari Filho (gerente corporativo de impacto social da Ambev), Richard Lee (head de sustentabilidade da Ambev) e Bruno Barroso (fundador da plataforma Prosas)
Conversa com investidores sociais da Ambev no Festival ABCR 2020. De cima para baixo, Carlos Eduardo Pignatari Filho (gerente corporativo de impacto social da Ambev), Richard Lee (head de sustentabilidade da Ambev) e Bruno Barroso (fundador da plataforma Prosas) - Reprodução

“Se você é o proponente e não souber contar bem essa história, mostrar o que seu projeto tem de diferente e o que ele agrega, a chance de alguém olhar, não entender e descartar a proposta é grande”, afirma o diretor de sustentabilidade.

“É ilusório pensar que quem está recebendo o seu projeto vai investir tempo fazendo o seu trabalho, que é esse convencimento”, completa.

Pignataro concorda e enfatiza que as redes sociais são o melhor caminho para que o captador conheça e analise o posicionamento daquela marca específica.

“Quando falamos da estratégia de definição, nos preocupamos muito com o estar relacionado àquilo em que a marca acredita”, diz o gerente corporativo de impacto social.

Ele explica a relação usando como exemplo o Guaraná, refrigerante da Ambev original do Brasil. “Quando falamos de Guaraná, por exemplo, queremos trazer algo relacionado ao brasileiro, à brasilidade, e também à conexão com a natureza.”

Os investidores sociais também falaram sobre o Voa, programa de voluntariado da Ambev.

Lançado em 2018, o projeto é de mentoria e gestão e leva funcionários da cervejaria a compartilhar seu conhecimento com organizações sociais. Mais de 200 ONGs e 5 milhões de pessoas já foram impactadas pela iniciativa.

Ambev oferece cursos gratuitos para ONGs em meio à crise da Covid-19
Ambev oferece cursos gratuitos para ONGs em meio à crise da Covid-19 - Divulgação

Por conta dos impactos socioeconômicos causados pela pandemia do novo coronavírus no Brasil, a Ambev decidiu oferecer, por meio do Voa, cursos online e gratuitos com foco em gestão para o terceiro setor.

Qualquer organização, de qualquer segmento, pode ter acesso ao material através da plataforma do Voa. O conteúdo é o mesmo utilizado pelas ONGs que já participam do programa.

No total, são nove aulas sobre gestão, com videoaulas e apostilas. A iniciativa tem como objetivo compartilhar os métodos e processos utilizados pela própria Ambev para ajudar as organizações a melhorarem seus processos, orçamentos e alcance de seu impacto na sociedade, com foco no período de crise.

Para acessar as aulas, basta acessar este link e realizar um cadastro informando o CNPJ ou CPF. As organizações que tiverem interesse em fazer parte do programa Voa de 2021 deverão realizar as inscrições ainda este ano, previstas para o último trimestre.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.