Sitawi faz chamada para empréstimos coletivos voltada a impacto na Amazônia

Com captação de até R$ 1,5 milhão, plataforma prioriza organizações que valorizam economia da floresta em pé

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Organizações e negócios que promovem impacto socioambiental na região amazônica podem se inscrever até 18 de julho para nova chamada de empréstimos coletivos da Sitawi Finanças do Bem. Os investimentos variam de R$ 300 mil a R$ 1,5 milhão com possibilidade de carência entre 0 e 6 meses a juros baixos.

A chamada é destinada a negócios que valorizam a conservação da floresta e geram renda para suas comunidades. Os selecionados poderão captar pela "Plataforma de Empréstimo Coletivo" em meados de outubro, quando a Sitawi disponibiliza crédito para negócios de impacto por meio de diversos investidores, em sua maioria pessoas físicas.

cartaz verde com chamada para rodada de investimentos
Sitawi abre rodada de empréstimos coletivos voltada a impacto na Amazônia - Divulgação / Sitawi

Além do crédito com condições mais atrativas que o mercado, a Sitawi realiza acompanhamento mensal, estruturando indicadores financeiros e de impacto. Durante o acompanhamento, os empreendedores têm acesso à rede de mentores e voluntários que auxiliam no desenvolvimento da organização.

Segundo Bruno Girardi, gerente de investimento de impacto da Sitawi, a chamada busca fortalecer organizações que valorizam a economia da floresta em pé.

"Gera conservação da biodiversidade, trabalho e renda para as comunidades locais e entendemos que, com acesso, respaldamos o desenvolvimento sustentável da região, ampliando a economia da floresta", diz.

Os interessados devem preencher o cadastro pela página da chamada informando missão, finanças, impacto gerado, objetivo da captação, entre outros dados.

"É primordial possuírem uma missão de impacto socioambiental positivo no ecossistema da floresta amazônica, operação com modelo de negócios viável e capacidade de pagamento", afima Girardi.

As organizações que se encaixarem no propósito da chamada passarão por análise de dados financeiros, operacionais e de impacto. Ainda serão avaliados a governança, fibra ética, capacidade de execução, o mercado que está inserido e o modelo de negócios.

A avaliação inclui entrevistas com fundadores, funcionários, clientes, beneficiários e outros stakeholders relevantes para a organização.

A "Plataforma de Empréstimo Coletivo" já realizou quatro rodadas de investimento para pequenos negócios de impacto, que no total contribuíram para mobilizar R$ 7,2 milhões em 16 captações. Investidores interessados nas próximas rodadas de empréstimo coletivo também podem se inscrever.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.