Descrição de chapéu Saúde responde

Adolescentes precisam ir ao urologista? A partir de qual idade?

É importante acompanhamento com especialista ou clínico geral aos primeiros sinais de puberdade

São Paulo

Adolescentes do sexo masculino podem começar a frequentar o urologista assim que a puberdade der seus primeiros sinais, independentemente da idade, de forma semelhante ao que costuma ocorrer com as garotas. 

“Quando a menina entra na puberdade, ela é levada ao ginecologista de maneira automática. Ele passa a ser o médico de confiança dela, cria-se um sentimento de acolhimento, de segurança”, diz Daniel Zylbersztejn, membro da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia).

Segundo Zylbersztejn, em garotos é mais comum deixar em segundo plano a preocupação com visitas regulares ao médico, o que pode ser prejudicial para uma vida saudável. 

Pessoa segura raio-x
Visitas ao médico também servem para tirar dúvidas, não só para tratamento de doenças - Danish Siddiqui/Reuters

Frequentar um médico não tem a função exclusiva de tratar doenças —como a varicocele, condição que afeta as veias do escroto, acomete até 25% dos adolescentes, é assintomática e pode levar à infertilidade. Também serve para esclarecer dúvidas em um período rico para o surgimento delas.

E não são só abordadas questões sexuais nessa fase. Vacinas, por exemplo, são outro tema relevante a ser considerado nas consultas —coberturas vacinais em adolescentes costumam não ser altas.

A falta de costume de ir ao médico pode também se estender para o resto da vida. Em pesquisa Datafolha encomendada em 2017 pela SBU, pelo Instituto Oncoguia e pela Bayer, 38% dos homens com 40 anos ou mais não frequentavam o urologista. Para 21% da população masculina, o exame de toque retal, essencial para detecção do câncer de próstata, “não é coisa de homem”.

O especialista da SBU, coordenador da campanha de conscientização  #VemProUro, afirma que o ideal é ter um médico de confiança, seja um urologista ou um clínico geral.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.