Coreia do Sul tem boom de infecções pelo novo coronavírus

Nas últimas 24 horas, quatro pessoas morreram e 813 casos foram diagnosticados

Seul | AFP

A Coreia do Sul registrou neste sábado quatro novas mortes e outros 813 casos de infecção pelo novo coronavírus, o maior aumento diário até então, o que eleva o número total de infectados a 3.150, anunciaram as autoridades de saúde.

Quatro pacientes morreram no país nas últimas 24 horas devido ao coronavírus e o número de mortos chega a 17. Todas as vítimas eram idosas.

A maioria das infecções e mortes está concentrada na região de Daegu, ao sul.

Soldados sul-coreanos limpam linha férrea em Daegu, na Coreia do Sul - Yonhap/Reuters

As autoridades de saúde também registraram um primeiro caso de reinfecção, ou seja, uma mulher de 73 anos que já estava doente, curada e retornou positiva nos controles.

A doença retornou porque seu "sistema imunológico foi afetado", segundo porta-vozes do Centro Coreano de Controle e Prevenção de Doenças (KCDC).

Na China, também houve pelo menos 10 casos de reinfecção.

Na Coréia do Sul, a epidemia se espalhou dentro da Igreja de Jesus Shincheonji, um grupo religioso cujos 260.000 membros devem passar por uma análise. Cerca de metade dos casos está vinculada a ele.

Daegu, a quarta cidade do país com 2,5 milhões de habitantes, parece uma cidade fantasmagórica, com ruas desertas, exceto farmácias e lojas que vendem máscaras protetoras.

O governo instou a população a evitar a concentração de pessoas em geral e a ficar em casa se tiverem sintomas como febre ou dificuldades respiratórias.

"Evite realizar grandes comícios no exterior ou celebrações religiosas", disse o primeiro-ministro Chung Sye-kyun durante viagem a Daegu.

No momento, nenhum confinamento é planejado seguindo o modelo aplicado na cidade chinesa de Wuhan.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.