Descrição de chapéu Coronavírus

Novos exames em brasileiros que vieram de Wuhan dão negativo para coronavírus

Grupo ainda deve passar por um terceiro exame ao 14º dia de quarentena

Brasília e Santos

Resultados de um segundo exame em brasileiros que vieram de Wuhan, epicentro da epidemia do novo coronavírus na China, deram negativo para infecção pelo vírus Sars Sars-CoV-2.

Ao todo, foram coletadas amostras respiratórias de 34 pessoas que estavam na China e foram repatriadas e 24 médicos e tripulantes que participaram da operação para vinda do grupo.

As amostras foram submetidas a exames de RT-PCR, capazes de detectar uma possível infecção pelo vírus. Todos deram negativo. Desde o início da quarentena, nenhuma pessoa do grupo apresentou sintomas.

Segundo o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, apesar dos resultados, o grupo deverá continuar em quarentena em um espaço reservado dentro da base aérea de Anápolis (GO) até o resultado de um terceiro exame.

A coleta para esse último teste deve ocorrer no sábado (22), quando o grupo completa 14 dias de isolamento.

Inicialmente, o ministério chegou a informar que avaliava transferir médicos e tripulantes para quarentena domiciliar devido ao uso de equipamentos de proteção individual durante a viagem e resultado negativo dos primeiros exames.

De acordo com Gabbardo, porém, o governo decidiu manter a orientação de quarentena conjunta em Anápolis por 18 dias.

Os novos resultados, no entanto, apontam que a probabilidade de infecção do grupo pelo novo coronavírus é baixa, afirma o diretor do departamento de vigilância de doenças transmissíveis do ministério, Julio Croda.

Segundo ele, dados sobre o novo vírus mostram que o tempo entre a infecção e o desenvolvimento de sintomas tem sido de cinco dias.

A recomendação da Organização Mundial de Saúde é que medidas de quarentena sejam adotadas por até 14 dias --o Brasil estendeu esse período para 18 dias.

"A coleta das amostras [para o segundo exame] foi realizada ao 10º dia [desde o embarque]. Com isso, ficamos mais tranquilos no sentido de que a probabilidade dessas pessoas desenvolverem uma infecção pelo novo coronavírus é baixa", disse Croda.

Cai para dois o número de suspeitas em investigação

Até o momento, o país não tem casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus.

Monitoramento do Ministério da Saúde aponta dois casos de suspeita de covid-19, nome pelo qual a doença tem sido chamada, ainda em investigação. Os casos são de pacientes do Rio Grande do Sul e São Paulo, que agora passam por exames.

Outros 48 casos que chegaram a ser contabilizados como suspeitos já foram descartados.

Destes, 20 deram positivo para vírus da gripe, como o influenza B e A, e 13 para outros vírus respiratórios mais frequentes no país.

Outros 15 tiveram resultado negativo para o novo coronavírus em exames específicos, mas não tiveram outro vírus detectado. Segundo Croda, a situação é comum em exames de quadros gripais. "Em geral, em cerca de 50% das síndromes gripais não conseguimos identificar o vírus específico", afirma.

Navio chinês em Santos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) descartou a possibilidade de problemas de saúde relacionados ao novo coronavírus no navio de bandeira de chinesa Kota Pemimpin, no Porto de Santos, no litoral paulista.

Após inspeção realizada na tarde desta quarta-feira (19), a Anvisa emitiu o Certificado de Livre Prática (CLP), documento que certifica que a embarcação está regular para atracar, e liberou todos os 25 tripulantes do navio.

O certificado permite a agência avaliar se há viajantes doentes e se a embarcação é proveniente de áreas de risco de transmissão de alguma doença de interesse em saúde.

O navio passou por quatro portos chineses nos últimos 30 dias e foi notificado com dois casos suspeitos do novo coronavírus. Um dos tripulantes apresentou febre inespecífica e outro um quadro de amidalite, sem qualquer ligação com a doença covid-19.

O relatório da Anvisa ainda é preliminar, sem detalhamentos técnicos, enquanto as demais condições sanitárias seguem sob análise fiscal da agência.

A Folha procurou a Vigilância Epidemiológica do estado, mas ainda não há informações técnicas sobre os procedimentos adotados para atestar a não infecção. Apenas foi confirmada a realização de exames clínicos.

O navio estava desde o último dia 17 aguardando boas condições para atracar. A manobra foi realizada nesta quarta.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.