Descrição de chapéu Coronavírus

Motéis continuam firmes na pandemia e, apesar de alertas, aceitam aglomeração

Maioria dos estabelecimentos ouvidos pela Folha afirma receber festas privadas

São Paulo

Eis que, no meio da quarentena, aquela (e) crush incrível resolve te ligar para dizer que tem que ser hoje. Fora a própria pandemia do novo coronavírus, só há um problema: na sua casa e na dela (e), ocupadas por outras pessoas, simplesmente não dá.

Bem, você pode pensar, a regra que considera os hotéis serviços essenciais durante este período de quarentena se estende também aos motéis. Pode não ser aconselhável com o vírus circulando livremente por aí, mas eles estão funcionando.

Vocês são adultos e vacinados (contra o que existe vacina) —não que isso valha contra o novo vírus— e assumem o risco de quebrar o isolamento social e se encontrar.

Ilustração Adão 16 de abril de 2020  para matéria sobre motéis em sp funcionando na quarentena
- Adão

Até aí, está longe ser aconselhável, mas vocês já decidiram. Porém, digamos que você é um pouco mais libertário (a) e é convidado para uma festinha num motel com, vamos dizer....umas dez pessoas ao todo. Problema?

Sim, para a possibilidade de, nessa aglomeração, contrair o vírus que já causou 1.736 mortes e infectou mais de 28 mil pessoas no Brasil.

Não, para a chance de você e seus convivas serem barrados na portaria do estabelecimento. Isso, de acordo com a maioria dos motéis consultados pela Folha, não vai acontecer.

E mais, caso seja o (a) mais organizado (a) do grupo e caiba a você os preparativos para a festa, pode entrar em contato com o motel 48 horas antes e reservar uma suíte com, digamos, piscina, cascata, sauna, mesa de bilhar (?), teto retrátil, pole dance e pista de dança. Ah, todas têm cama também, claro. Alguns mais de uma.

No entanto, a depender do motel, é melhor não deixar isso para a última hora e aparecer com a galera na entrada do estabelecimento. Assim como vocês, outras pessoas parecem ter as mesmas ideias todos os dias.

A reportagem entrou em contato com os estabelecimentos na condição de potencial cliente incumbido de reservar um quarto para ele e mais nove pessoas para o próximo sábado (18).

“Como tá tudo fechado por aí, pessoal tá aproveitando para vir fazer festa”, diz a simpática atendente do motel Caribe, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo, que orienta o repórter a não deixar de fazer a reserva antes de ir ao local caso queira realmente fazer a comemoração em grupo.

A única suíte disponível para o próximo sábado custa R$ 1.540 para até quatro pessoas. Para que as outras seis possam ter acesso ao animado chega mais, outros R$ 200 cada um.

Segundo a atendente, a pandemia não afastou os clientes, e o motel adotou medidas de higiene “ainda mais rígidas que de costume”. A higienização, diz ela, foi reforçada, e dispensadores de álcool em gel disponibilizados desde a entrada dos quartos.

Se você é daquelas pessoas que têm certa suspeita sobre as condições da banheira de todo e qualquer motel, pouco provável que isso ajude.

E se um dos convivas se sentir desconfortável em ficar em um ambiente totalmente fechado, sem janelas e em companhia de outras pessoas? Se ele (a) só se der conta disso quando lá estiver, ainda assim poderá aproveitar ao ar livre. Na área da piscina, com cascata, o teto é retrátil e pode ser aberto ao simples toque de um botão.

No mesmo bairro, o Opium Motel tinha, até esta quarta-feira (15), apenas um quarto disponível para sábado que comportaria a comemoração. Trata-se da suíte Trancoso – “Viva o calor da Bahia sem sair de São Paulo”, de acordo com o site do local.

Caso seja uma festa temática, o quarto com duas camas, ar-condicionado, frigobar, secador de cabelos, Internet Wi-Fi grátis, duas TVs com canais em HD, três canais eróticos, som com seleção de músicas, quatro ambientes, piscina com cascata, hidromassagem, teto solar, sauna, bangalô, dois aparelhos de som JBL com conexão bluetooth e, ufa, vagas para dois carros, pode receber, por exemplo, um luau para você e seus convidados.

Tudo isso por R$ 599 para duas pessoas. Os outros oito precisam pagar R$ 100 para usufruir a experiência.

Não muito longe dali, no motel Lumini, no Limão, zona norte de São Paulo, o isolamento social parece ter se estendido a todas as formas de interação. Consequência da quarentena, o movimento caiu no último mês, afirma a atendente ao telefone.

Ali, uma festa para dez pessoas pode ocorrer num quarto de R$ 525, diz a recepcionista. Esse preço acomoda quatro dos convidados. Os outros seis precisam desembolsar a metade do valor da suíte para terem acesso ao local, com piscina. Observação: um sachê de álcool em gel é entregue a cada casal na entrada.

Mas, como nem tudo é festa no mundo dos motéis, há aqueles que não admitem tamanha aglomeração e empolgação em tempos de pandemia, seja por terem quartos que não comportam tanta gente, seja por motivos de saúde pública.

Nesses está o Apple. Mesmo na sugestiva suíte Maçã, com piscina aquecida e três ambientes, o máximo permitido pela casa é a reunião de quatro pessoas no local. Nesse caso, o pernoite, que custa R$ 429, sai pelo dobro do valor. A atendente afirma que os quartos não comportam mais do que isso e lembra o repórter que “com essa pandemia, não é aconselhável fazer essas festas”.

O Lush, no Ipiranga, zona sul, é ainda mais rígido. Além da cozinha que funciona temporariamente com cardápio reduzido, qualquer festinha ali também precisa ser bem menor e mais íntima. De acordo com a recepcionista, no máximo três pessoas podem ocupar uma suíte.

Mesmo ante insistência, a mulher é firme ao enfatizar que a pandemia do novo coronavírus impõe alguns sacrifícios a todos e que não são permitidas aglomerações nas dependências do motel, sob pena de sofrerem algum tipo de sanção.

E ela está certa. Caso o estabelecimento receba um fiscal da Secretaria Municipal das Subprefeituras, o local fica sujeito a multa e interdição caso se constate que está operando em desacordo com o decreto

De acordo com a gestão Bruno Covas (PSDB), o objetivo da administração municipal não é multar, mas, sim, “evitar aglomerações para reduzir o risco de transmissão do coronavírus para proteger a população, conforme as orientações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A prefeitura afirma que, em caso de reincidência, o alvará de funcionamento pode ser suspenso.

Em nota, a prefeitura diz: “Vale dizer que a população tem majoritariamente cumprido a determinação dos decretos municipais”.

A Associação Brasileira de Motéis afirma que os estabelecimentos, por padrão, são locações para casal. "A exceção fica com os motéis com suítes para festas, mas que o uso está suspenso durante a pandemia, diretriz, inclusive, que vem sendo seguida por todos os nossos associados", diz em nota.

A entidade reforça que o setor atua de forma rígida em relação às práticas de higiene, utilizando produtos químicos capazes de esterilizar e desinfetar todas as superfícies, hidros e demais áreas das suítes.

E finaliza: "A associação entende que a situação é delicada. Por isso, reforça o apelo para que qualquer pessoa do grupo de risco ou com sintoma de gripe (mesmo que leve) fique em casa e ajude a evitar a transmissão do Covid-19 para outras pessoas, principalmente aquelas que podem ser mais vulneráveis à doença".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.