Descrição de chapéu Coronavírus

Secretário de Vigilância da Saúde diz que deixará cargo nesta segunda-feira

Wanderson de Oliveira pediu demissão em abril e permaneceu no ministério a pedido de Mandetta e Teich

Brasília

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, disse neste domingo (24) que deixará a pasta nesta segunda-feira (25).

Oliveira está no cargo desde a gestão do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta. Ele já havia apresentado um pedido de demissão no dia 15 de abril, que, na ocasião, foi negado.

O secretário disse, em mensagem enviada a jornalistas e a membros da equipe neste domingo, que vai auxiliar o ministro interino Eduardo Pazuello nas ações de resposta à pandemia do coronavírus.

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, em entrevista coletiva em Brasília - Adriano Machado - 8.abr.2020/Reuters

"Somos da mesma instituição, Ministério da Defesa e conosco é missão dada, missão cumprida", escreveu. Oliveira não é militar, mas é do quadro de funcionários do HFA (Hospital das Forças Armadas).

O secretário, assim como Mandetta, defende o isolamento social para achatar a curva de contágio do novo coronavírus. A tentativa de saída se deu no auge do embate entre Mandetta e o presidente Jair Bolsonaro.

Ele ficou conhecido como o representante técnico da pasta responsável por apresentar as medidas de enfrentamento à Covid-19 e traçar estratégias de combate à doença.

Assim como Mandetta, sempre vestia o colete do SUS. A prática foi abandonada na gestão de Nelson Teich, que também deixou o governo depois de rejeitar mudanças no protocolo da cloroquina.

Neste domingo, o secretário avisou na mensagem que estava saindo de grupos de trabalho. "Está chegando o momento de despedida."

Ele permaneceu no cargo de secretário a pedido de Mandetta e Teich, mas, segundo ele, já estava definida com Pazuello sua saída permanente.

O secretário é enfermeiro epidemiologista. Em 2009, foi aprovado em concurso público para servidor do HFA, para onde retornará. Ele é mestre e doutor em epidemiologia pela Faculdade de Medicina da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.