Descrição de chapéu Coronavírus

Plataforma mostra o que ocorreria se a pandemia de Covid-19 estivesse concentrada na sua vizinhança

Ferramenta da Lupa com o Google News Initiative aponta raio de quarteirões em volta da sua casa deixaria de existir

São Paulo

A Lupa, em parceria com o Google News Initiative, lança, nesta sexta (24), uma ferramenta que permite ver o impacto da pandemia do novo coronavírus —caso ela ocorresse exclusivamente na sua vizinhança.

No projeto No epicentro, o usuário precisa somente colocar o seu endereço aproximado. Em seguida, uma narrativa mostrará a magnitude da Covid-19 a partir de quantos quarteirões em volta da sua casa deixaria de existir vida se a pandemia ali estivesse concentrada.

A ferramenta usa dados do censo 2010 do IBGE para fazer o cálculo.

Mapa mostra um círculo, dentro do qual estariam concentradas todas as vítimas de Covid-19
Na imagem, quantos quarteirões em volta do Masp deixariam de existir se a pandemia ali estivesse concentrada - Reprodução

Logicamente, não se trata de uma representação precisa da realidade, mas a ideia do projeto é exatamente trazer as dezenas de milhares de mortes provocadas pela Covid-19 para perto das pessoas e dar uma forma mais concreta às perdas com referências que sejam familiares.

O projeto ainda mostra como seria o impacto da pandemia se ela estivesse concentrada em pontos conhecidos de outras grandes cidades, como próximo ao Masp em São Paulo ou no Passeio Público de Curitiba.

Os dados da ferramenta serão atualizados diariamente conforme ocorrerem novas mortes por Covid-19 —atualmente, mais de mil mortes são registradas diariamente no país.

O projeto, desenvolvido em linguagem de programação Python, foi coordenado por Alberto Cairo, referência em visualização de dados. Natália Leal, diretora de conteúdo da Lupa, foi a gerente editorial da ferramenta. Completam o time de desenvolvimento Vinicius Sueiro, designer, Rodrigo Menegat, jornalista-programador, e Tiago Maranhão.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.