Descrição de chapéu Coronavírus Governo Bolsonaro

Sem citar 100 mil mortos, Bolsonaro compartilha nota sobre dados positivos de Covid

Presidente não se pronunciou diretamente sobre marca de óbitos atingida neste sábado (8) e parabenizou Palmeiras por campeonato

Brasília

Após o Brasil superar a marca de 100 mil óbitos pelo novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro compartilhou neste sábado (8) uma postagem de sua equipe de comunicação na qual lamenta mortes pela Covid-19 “assim como por outras doenças” e pedem divulgação de dados positivos.

O país atingiu essa marca no início da tarde deste sábado, segundo dados coletados com as secretarias estaduais da saúde pelo consórcio formado por Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, o Globo e G1.

Pouco depois das 19 horas, Bolsonaro publicou em suas redes sociais uma foto vestido com a camisa do Palmeiras, acompanhada da descrição “parabéns Palmeiras campeão paulista 2020”. O clube venceu o Corinthians no campeonato estadual neste sábado.

Em seguida, o presidente compartilhou uma postagem da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República sobre a pandemia do novo coronavírus.

“Todas as vidas importam: as que vão e as que ficam. Lamentamos as mortes por Covid, assim como por outras doenças. Nossas orações e nossos esforços têm a força de um governo que dá tudo para salvar vidas. Toda a assistência possível à saúde dos brasileiros foi dada”, diz a publicação.

A imagem que segue o texto traz uma lista de “números que merecem ser divulgados”.

A publicaçãodiz que quase 3 milhões de vidas foram salvas ou estão em recuperação. A equipe do presidente afirma que o país tem “um dos menores índices de óbitos por milhão entre as grandes nações”.

De fato, o Brasil tem um índice de 48 mortes por Covid para cada 100 mil habitantes, similar ao americano e muito menor do que o de países europeus como a Bélgica (86), o Reino Unido (70) e a Itália (58), mas muito maior, por exemplo, que o da vizinha Argentina (10), ou mesmo maior que a França (45) e o México (41)

A lista prossegue afirmando que o Brasil é “sempre um dos países que mais recupera infectados” e “sempre com índice de recuperação acima dos 95%”.

O Brasil registrou até este sábado (8) mais de 3 milhões de infecções pelo coronavírus, número provavelmente subnotificado conforme indicam estudos de campo. É o segundo país no mundo em número de infectados —logo, é natural que tenha mais curados do que outras nações onde menos gente adoeceu.

O único país que supera o Brasil, no momento, são os Estados Unidos, que já beiram os 5 milhões de casos, ou 60% mais infecções. A população americana é 57% maior que a brasileira.

A publicação da secretaria também listou ações adotadas pelo governo na pandemia, como repasses para estados e municípios, pagamento de auxílio emergencial a informais e programa para evitar demissões, que permite cortes de jornadas e salários de trabalhadores.

Procurada, a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto não respondeu se o presidente vai se pronunciar diretamente sobre a marca de 100 mil mortes por coronavírus no país.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.