Palmeiras tenta encerrar rotina de quedas para o Santos

Em jogos eliminatórios do Estadual, equipe alvinegra levou sempre a melhor desde 2008

Gabriel domina a bola entre jogadores do Palmeiras, na derrota do Santos para o time alviverde por 1 a 0 no sábado (24)
Gabriel, do Santos, domina a bola entre jogadores do Palmeiras, na vitória do time alviverde por 1 a 0 no sábado (24) - Rubens Cavallari/Folhapress
Eduardo Geraque
São Paulo

Com a vantagem do empate para passar à decisão do título do Campeonato Paulista, o Palmeiras enfrenta na noite desta terça-feira (27), às 20h30, seu maior algoz na história recente do torneio estadual.

Em jogos de mata-mata, o Santos ficou com a vaga nas quatro vezes que enfrentou o time alviverde desde 2008, ano do último título da equipe da capital.

O Santos, no mesmo intervalo, levou o título estadual para a Baixada Santista cinco vezes (2010, 2011, 2012, 2015 e 2016).

No encontro mais recente entre os dois, na final de 2015, o Palmeiras havia ganho a primeira a partida, no Allianz Parque, por 1 a 0. 

No jogo de volta, na Vila Belmiro, o time da casa venceu por 2 a 1. E levou o troféu após disputa de pênaltis vencida por 4 a 2.

Também naquele ano, o clássico decidiu a Copa do Brasil. O título nacional foi vencido pelo Palmeiras.

Agora em 2018, pelas semifinais, o segundo jogo será no Pacaembu, mesmo palco da primeira partida.

Como o Palmeiras venceu no sábado (24) por 1 a 0, tem a vantagem do empate no confronto.

Se o Santos ganhar por um gol leva o jogo aos pênaltis. Vantagem por dois gols, garante a vaga direto. 

Não há o critério do gol marcado fora de casa.

Além da decisão de 2015, Palmeiras e Santos enfrentaram-se em duas semifinais (2016 e 2009) e nas quartas do Paulista de 2013.

Se na maioria dos confrontos Palmeiras e Santos fizeram jogos equilibrados, desta vez a equipe alviverde tem o rótulo de favorita à vaga e também ao título. Apesar de o técnico palmeirense Roger Machado discordar da afirmação.

O time alviverde não terá Borja, na seleção da Colômbia. O lateral Marcos Rocha, machucado, é dúvida.
Caso ele seja vetado pelos médicos do Palmeiras, Tchê Tchê deve entrar no lado direito da defesa palmeirense.

No jogo de ida, a entrada de Diogo Vitor, no meio-campo, não surtiu o efeito desejado por Jair Ventura.

O treinador afirmou que não gostou do meio campo do Santos e pretende mudar o time para o segundo jogo.

Léo Citadini deve seguir fora, por problemas médicos. Na vaga dele, o meia Renato pode ser escalado novamente por Ventura.

O atacante Rodrygo, 17, pode voltar ao time titular nesta terça. Terá a missão de fazer gols, num time que não marca há três jogos.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.