Descrição de chapéu Copa Libertadores Futebol Internacional

Venha jogar e respeite sua palavra, diz presidente do River ao do Boca

Rodolfo D'Onofrio falou firme contra o rival em entrevista nesta quarta (28)

Rodolfo D'Onofrio, presidente do River Plate, na sede da Conmebol para a reunião que definirá o futuro da final
Rodolfo D'Onofrio, presidente do River Plate, na sede da Conmebol para a reunião que definirá o futuro da final - Jorge Adorno/Reuters
São Paulo

Depois de ver o presidente do Boca Juniors quebrar o acordo de cavalheiros selado para que a final da Copa Libertadores seja decidida no campo, o presidente do River Plate, Rodolfo D'Onofrio, falou firme contra o mandatário rival.

Em entrevista coletiva concedida nesta quarta-feira (28), D'Onofrio pediu novamente a Daniel Angelici que o torneio continental se encerre com uma partida e não nos tribunais.

"Angelici, venha jogar. Não somos tão bons assim, joguem, vocês podem ganhar da gente. Se o presidente do Boca está me ouvindo, venha jogar, respeite sua palavra. Digo com o coração. Há de se ter valores", afirmou o mandatário do River.

Após a final ter sido adiada no último sábado (24) em razão do ataque ao ônibus do Boca, Angelici, D'Onofrio e Alejandro  Domínguez, presidente da Conmebol, se reuniram no Monumental de Nuñez para definir os próximos passos da decisão da Libertadores.

Ali, no interior do estádio do River Plate, chegaram a um consenso que a partida deveria ser jogada no domingo (25). Contudo, pela manhã, o Boca entrou com um pedido na Conmebol para que o jogo fosse suspenso, a equipe ficasse com os pontos do confronto e, consequentemente, com o título.

D'Onofrio considerou a atitude do clube rival como uma traição de Angelici. A partida, então, foi adiada novamente.

Nesta terça-feira (27), depois da reunião em Luque, sede da Conmebol, a entidade que comanda o futebol sul-americano definiu que a final acontecerá entre os dias 8 e 9 de dezembro, mas ainda não há confirmação do local. A única certeza Ã© de que não será na Argentina.

Para Rodolfo D'Onofrio, pouco importa a sede do jogo decisivo.

"Na Lua, vamos jogar a partida na Lua", completou o dirigente.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.