Descrição de chapéu Copa América

Falcao encara Copa América como última chance de dar título à Colômbia

Colombianos estreiam nesta sábado (15) contra a Argentina, na Arena Fonte Nova

Alex Sabino
Salvador

Radamel Falcao, 33, sabe que esta provavelmente será a última Copa América da sua carreira. O mesmo vale para o Mundial do Qatar em 2022. Será seu derradeiro. Assim como Lionel Messi na Argentina, o principal atacante da Colômbia não tem títulos pela seleção. Quando a equipe conquistou o único troféu continental, em 2001, ele ainda não fazia parte do elenco.

Ele sabe que o seu tempo não está longe de acabar.

“Somos conscientes de que as oportunidades estão diminuindo e [esta Copa América] pode ser a última. Não sabemos. Pode ser que seja e trato como se fosse a última”, afirma o centroavante do Monaco, da França.

O atacante Radamel Falcao durante treino da seleção colombiana
O atacante Radamel Falcao durante treino da seleção colombiana - Luisa Gonzalez/Reuters

A carreira de Falcao Garcia sempre terá uma dúvida do que poderia ter sido. Em janeiro de 2014, a cinco meses da Copa do Mundo no Brasil, sofreu ruptura do ligamento do joelho esquerdo e ficou fora do torneio. Ele vivia a melhor fase da sua carreira e era um dos mais temidos atacantes do planeta. Sem Falcao, mas inspirada pelo futebol de James Rodríguez, a Colômbia obteve o melhor resultado de sua história e chegou às quartas de final. Poderia ter sido ainda melhor se o atacante estivesse no time.

O camisa 9 fala do desejo de dar uma alegria ao povo colombiano no sentido de ser o responsável por proporcionar isso antes de encerrar a carreira. Deseja fazer parte de algo especial.

“Esta Copa América é uma grande oportunidade e sonhamos com isso. É chance de dar uma grande alegria grande à Colômbia, mas em qualquer competição há fatores externos que geram ansiedade”, completa.

Falcao Garcia fez parte da seleção na Copa do Mundo da Rússia no ano passado. Fez apenas um gol, contra a Polônia. O time foi eliminado pela Inglaterra nas oitavas de final, nos pênaltis.

A Colômbia estreia neste sábado (15), em Salvador, contra a Argentina. Depois enfrenta Qatar e Paraguai pelo grupo B do torneio.

Hospedados em resort a poucos metros da praia de Catussaba, os jogadores colombianos se recusam a ver a Copa América como uma plataforma para o Mundial do Qatar. Seria uma conquista relevante para Radamel Falcao Garcia da mesma forma que seria para Lionel Messi, astro que é o maior motivo de preocupação para o sistema de marcação colombiano.

 

“Nós sabemos que a característica da Argentina é brigar por todas as bolas e não desistir muito. Nós não temos de igualar isso. Temos de superá-los. Não adianta falar apenas de Messi. Eles têm outros valores individuais muito fortes”, finaliza o camisa 9 e capitão da Colômbia.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.