Argentina e Espanha vão decidir Copa do Mundo de basquete

França, algoz dos Estados Unidos, e Austrália são eliminadas nas semifinais

São Paulo

A final da Copa do Mundo masculina de basquete será disputada entre Espanha e Argentina. Essas equipes superaram respectivamente Austrália e França nas semifinais, classificando-se para o embate decisivo a ser realizado no domingo, às 9h (de Brasília), com transmissão ao vivo do SporTV 2.

O primeiro time a assegurar sua vaga no confronto derradeiro do torneio da China foi o espanhol. Foi uma longa batalha, com duas prorrogações, mas os campeões mundiais de 2006 acabaram levando a melhor sobre a Austrália por 95 a 88, em Pequim, com participação decisiva de Marc Gasol, 34.

O pivô espanhol Marc Gasol teve ótima atuação diante dos australianos - Kim Kyung-Hoon/Reuters

O pivô liderou a reação da Espanha, que perdia por oito pontos a sete minutos do final. Ele chegou a colocar sua equipe na frente por um ponto, a oito segundos do final, antes de que Patty Mills, 31, acertasse um de dois lances livres para forçar a prorrogação. No primeiro tempo extra, foram lances livres do próprio Gasol que forçaram o segundo.

Aí, enfim, a seleção europeia se desgarrou no placar. Gasol terminou o duelo com 33 pontos e 6 rebotes. Ele teve boa colaboração do armador Ricky Rubio, 28, que registrou 19 pontos, 12 assistências, 7 rebotes e 4 roubos de bola. Pelo lado australiano, o destaque foi o armador Patty Mills, com 34 pontos, mas ele vai lamentar bastante o crucial lance livre perdido no quarto período.

A vitória da Argentina, também em Pequim, foi bem mais tranquila. Os campeões olímpicos de 2004 se impuseram desde o início do confronto com a França, que não conseguiu repetir a atuação do triunfo sobre os Estados Unidos. O placar final apontou 80 a 66 para a formação sul-americana, que fez mais pontos em todos os períodos.

O ala-pivô Luis Scola é peça importante na luta da Argentina pelo título - Jason Lee/Reuters

O experiente ala-pivô Luis Scola, 39, teve mais uma grande atuação, com 28 pontos e 13 rebotes. Decisivo na eliminação dos norte-americanos, o pivô francês Rudy Gobert, 27, foi limitado a 3 pontos e não teve o impacto que costuma na defesa. Seu único toco ocorreu na jogada final, com o resultado definido.

A decisão será mais uma partida realizada em Pequim. Campeã em 1950, a Argentina brigará por seu segundo título mundial. A Espanha, que triunfou há 13 anos, também vai buscar a taça pela segunda vez.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.