Descrição de chapéu Futebol Internacional

Sem jogos até setembro, França pressiona futebol europeu

Primeiro-ministro afirma que temporada atual não poderá ser finalizada em campo

São Paulo

O futebol francês recebeu nesta terça-feira (28) um sinal vermelho com relação à possibilidade de encerrar, no campo, as temporadas das duas principais divisões do país, suspensas desde março pela pandemia do coronavírus.

Em entrevista coletiva, o primeiro-ministro da França, Edouard Philippe, afirmou que eventos esportivos, mesmo que com portões fechados, não poderão acontecer até o mês de setembro.

Mbappé, do PSG, disputa a bola com jogador do Dijon em partida da Ligue 1
Mbappé, do PSG, disputa a bola com jogador do Dijon em partida da Ligue 1 - Gonzalo Fuentes/Reuters

"A temporada 2019/2020 de esportes profissionais, especialmente a do futebol, não poderá ser retomada. [Também] Não será possível praticar esportes em locais fechados e que sejam em equipe ou tenham contato físico", afirmou Philippe nesta terça.

A LFP (Liga de Futebol Profissional) esperava retomar o calendário em 17 de junho e encerrar a competição no dia 25 de julho.

O Paris Saint-Germain, campeão de 6 das últimas 7 edições da Ligue 1, lidera o campeonato com 68 pontos, 12 a mais do que o segundo colocado, o Olympique de Marseille. A equipe parisiense ainda tem um jogo a menos.

A proibição de partidas de futebol até setembro não implica somente o término da temporada 2019/2020, mas força a federação do país a pensar em uma readequação da próxima temporada, que estava prevista para começar em 23 de agosto deste ano.

Com o adiamento da Eurocopa para 2021, as federações nacionais europeias não terão muita folga para iniciarem seus campeonatos.

No caso francês, se de fato os eventos esportivos continuarem proibidos até setembro, o calendário precisaria ser achatado a fim de encaixar as rodadas das ligas, as duas copas do país e a disputa de torneios internacionais, como a Champions League e a Europa League (também não há uma definição sobre o sistema de classificação para as competições europeias).

A Uefa, que comanda o futebol europeu, recomendou há algumas semanas que as federações encerrassem suas ligas no campo, ainda que aceite o término das competições sob determinados critérios.

A intenção da entidade é que tanto a Champions como a Europa League da atual temporada também sejam retomadas.

No caso francês, por exemplo, o Paris Saint-Germain conseguiu classificação para as quartas de final da Champions. O Lyon, que venceu a Juventus no jogo de ida das oitavas, não conseguiu disputar a partida de volta, com a paralisação do torneio em razão da pandemia. Diante da proibição por parte do governo, como prosseguir?

A decisão da França pelo veto a competições esportivas surge uma semana depois que o governo holandês também proibiu a realização de grandes eventos até setembro. A decisão das autoridades pressionou a federação de futebol do país, que anunciou na última sexta-feira (24) o encerramento da temporada.

O exemplo francês, contudo, marca o primeiro sinal negativo com relação à continuação do futebol entre as principais ligas da Europa.

Na Alemanha, a organização da Bundesliga se diz pronta para retomar os campeonatos já em maio. A federação nacional elaborou um plano que envolve a ausência de público nos estádios, número limitado de profissionais trabalhando diretamente nos locais das partidas, testes permanentes em atletas e comissões técnicas e convênios firmados com associações laboratoriais do país.

Clubes, como o Bayern de Munique, têm realizado treinos com limite de pessoas no campo e distanciamento mínimo entre os jogadores.

Alguns governadores já se mostraram favoráveis ao retorno do futebol. Na quinta (30), a chanceler Angela Merkel se reuniria com autoridades dos 16 estados alemães para discutir a flexibilização das normas de contingência da pandemia.

Dessa reunião deveria sair um anúncio sobre a possibilidade de a bola rolar ou não nas próximas semanas. O encontro, porém, foi adiado para o dia 6 de maio, o que atrapalha a intenção inicial da Bundesliga de voltar à ativa no dia 9 do mesmo mês.

Jogadores do Bayern de Munique treinam no CT do clube
Jogadores do Bayern de Munique treinam no CT do clube - Andreas Gebert - 24.mar.2020/Reuters

A Alemanha é um dos países que melhor tem controlado o contágio do coronavírus. Segundo dados da Universidade Johns Hopkins, que monitora os casos em escala global, o país tem mais de 158 mil casos confirmados e pouco mais de 6.100 mortes.

A França, com número de casos semelhante, 165 mil, já ultrapassou os 23 mil óbitos pela doença.

Epicentro da Covid-19 no continente ao lado da Itália, a Espanha, com mais de 229 mil casos e 23.500 mortes, planeja reiniciar seus campeonatos em junho.

Para isso, a liga espanhola preparou um protocolo que determina testes diários de coronavírus, número limitado de atletas em locais de treino, desinfecção dos aparelhos de ginástica após o uso e a obrigatoriedade de que os jogadores cheguem para os treinamentos já trocados.

Primeira entre as principais ligas a anunciar sua paralisação, no dia 9 de março, a Serie A italiana trabalha com a projeção de retornar aos treinos na primeira semana de maio, com distanciamento entre os atletas, e no dia 18 com os elencos completos. As datas foram informados pelo primeiro-ministro, Giuseppe Conte.

Suspensa desde 13 de março, a Premier League trabalha com a volta gradual das atividades a fim de tentar retomar a atual temporada do Campeonato Inglês a partir de 6 de junho. Sem um protocolo formal como tem a Bundesliga, por exemplo, algumas equipes têm retornado aos treinos, como o Tottenham, que voltou a trabalhar nesta terça-feira com limitação diária do número de jogadores no centro de treinamento.

Arsenal, West Ham e Brighton também já vinham treinando em suas instalações.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.