Tiago Nunes é demitido pelo Corinthians após derrota para o Palmeiras

Perda de apoio dos jogadores pesou na decisão do presidente Andrés Sanchez

São Paulo

O Corinthians demitiu o técnico Tiago Nunes na tarde desta sexta-feira (11). Ele deixa o cargo após a derrota por 2 a 0 no clássico contra o Palmeiras, na noite de quinta (10), na Neo Química Arena, pelo Campeonato Brasileiro.

No jogo contra o Fluminense, domingo (13), pela mesma competição, a equipe será dirigida por Dyego Coelho, que estava no Sub-20. Na teoria, ele assumirá o cargo de forma interina, mas a avaliação de pessoas do clube é que não há um substituto de peso livre no mercado para dirigir a equipe.

O último seria Mano Menezes, contratado no início desta semana pelo Bahia.

Tiago Nunes deixa o Corinthians após 28 jogos. Foram 10 vitórias, 10 empates e 8 derrotas. Contratado em novembro do ano passado, ele não conseguiu dar padrão de jogo para o time, que patinou no Campeonato Paulista e quase não conseguiu avançar para as quartas de final. No mata-mata, fez boa campanha e parou apenas na decisão, derrotado pelo Palmeiras nos pênaltis.

Pior foi na Libertadores. Caiu na segunda eliminatória, antes mesmo de atingir a fase de grupos. A previsão orçamentária do clube era chegar no mínimo às oitavas de final. No Campeonato Brasileiro, o Corinthians ocupa o 13º lugar e tem apenas um ponto de vantagem para o Athletico, 17º e primeiro na zona de rebaixamento.

Uma das primeiras medidas que Nunes tomou no comando da equipe foi dispensar Jadson e Ralf por acreditar que eles não se encaixavam no esquema de jogo planejado. Jadson fez postagem no Instagram, após a derrota para o Palmeiras, com a foto do treinador, o chamando de forma irônica de “Guardiola brasileiro”.

A pressão para troca no comando já existia há algumas semanas. O presidente Andrés Sanchez resistia aos pedidos para demitir o treinador por acreditar que qualquer novo nome não conseguiria fazer diferença significativa nos resultados. Mas as reclamações de jogadores começaram a deixá-lo preocupado. A derrota no clássico foi a gota d’água.

Em entrevista depois do jogo contra o Palmeiras, Nunes criticou Fagner, um dos jogadores mais experientes do elenco, por ter colocado a mão na bola dentro da área ainda no primeiro tempo. Ele cometeu o pênalti por acreditar que a finalização de Lucas Lima entraria no gol, o que não aconteceria. O lateral foi expulso por causa da jogada.

Dez dias antes de enfrentar a equipe alviverde, o Corinthians já havia perdido outro clássico, para o São Paulo, no Morumbi.

A demissão acontece na semana em que o Corinthians quitou os três meses de salários atrasados do elenco. Em março, Andrés teve reunião com os atletas, avisou das dificuldades financeiras e disse que atrasaria alguns meses de vencimentos. Segundo ele, o grupo entendeu os problemas do clube e ninguém reclamou.

Na circunstância atual, reclamações de jogadores, principalmente dos nomes mais importantes do elenco, tornaram-se ainda mais importantes para o presidente.

“Disse a eles que talvez atrasasse de um a três meses. A transparência fez a diferença. O nível de jogadores que está no Corinthians… São pessoas que sabem o que é o Corinthians, se dedicam arduamente ao clube. Eu só tenho a agradecer aos jogadores e pedir desculpas”, disse ele à Folha.

O descontentamento do elenco, no cenário atual financeiro e político do Corinthians (o clube elege novo presidente em novembro) acabou por selar o destino de Tiago Nunes.

Tiago Nunes durante partida contra o Atlético-MG, pelo Campeonato Brasileiro
Tiago Nunes durante partida contra o Atlético-MG, pelo Campeonato Brasileiro - Washington Alves-12.ago.20/Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.