Descrição de chapéu Campeonato Brasileiro 2020

Empate na Vila entre Santos e Palmeiras decepciona as duas equipes

Resultado impediu os donos da casa de vencerem o 1º clássico e deixou visitantes longe da ponta

São Paulo

O Palmeiras tinha no jogo contra o Santos neste sábado (5), na Vila Belmiro, a chance de se aproximar do líder do Campeonato Brasileiro. Para o Santos, era a oportunidade de pela primeira vez vencer um clássico na temporada.

O empate em 2 a 2 frustrou os dois times. Com 38 pontos, o Palmeiras está a seis do São Paulo, primeiro colocado, que enfrenta o Sport neste domingo (6).

Weverton desvia cruzamento do Santos durante empate na Vila Belmiro neste sábado (5)
Weverton desvia cruzamento do Santos durante empate na Vila Belmiro neste sábado (5) - Cesar Greco/Palmeiras

O Santos, na quinta posição com os mesmos 38 pontos do time alviverde (mas com um jogo a mais), não venceu nenhuma vez seus principais rivais do estado em 2020. Em sete partidas contra Corinthians, São Paulo ou Palmeiras, foram quatro empates e três derrotas.

Sem a presença do técnico português Abel Ferreira, em isolamento por causa da Covid-19, os visitantes dificultaram a saída de jogo e complicaram os planos do adversário nos primeiros minutos. O Santos começou a errar passes. Viña era opção de perigo pela lateral do Palmeiras e a única alternativa da equipe de Cuca era tentar passes longos, que nunca resultaram em nada importante.

Apesar do domínio, o time alviverde não criou grandes oportunidades. John não fez nenhuma defesa difícil. A melhor chance foi de Willian, que tocou por cima na saída do goleiro. Quando isso aconteceu, o Santos já havia mudado o cenário do confronto.

A partir do momento em que a bola começou a encontrar Marinho pelo lado direito do ataque, a equipe alvinegra tomou conta. O domínio, porém, não foi de chances trabalhadas, e sim de arremates de longe ou em cobranças de escanteio. Soteldo chutou por cima. Marinho quase fez um gol olímpico surpreendendo o goleiro Weverton.

Quando conseguiu entrar na área, o Santos abriu o placar em uma troca de passes entre Marinho, Kaio Jorge e a finalização de Diego Pituca para o gol.

O intervalo, em vez dos 15 minutos habituais, teve 27. Os refletores da Vila Belmiro se apagaram e, com a luz natural escassa às 18h, mais o tempo nublado na Baixada Santista, o árbitro Flavio Rodrigues de Souza considerou impossível recomeçar o jogo.

O Santos iniciou o segundo tempo e criou duas oportunidades nos primeiros três minutos, com chute de fora da área de Marinho e cabeçada de Lucas Veríssimo após jogada de Soteldo pela ponta esquerda.

O Palmeiras contou com ajuda do rival para entrar novamente no clássico e isso aconteceu aos 7, quando Lucas Veríssimo desviou com o braço cobrança de escanteio. A arbitragem marcou pênalti após olhar o lance no vídeo. Raphael Veiga converteu.

Foi o momento em que poderia ter mudado tudo. Aos 17, o Palmeiras já estava em vantagem graças ao oportunismo de Willian, que escapou da marcação de Lucas Braga e aproveitou desvio de cabeça de Zé Raphael para virar o placar. Já havia sinalização para a entrada de Gabriel Silva no lugar do artilheiro, que saiu dois minutos depois.

Marinho não permitiu a vantagem palmeirense por muito tempo. Na primeira vez em que recebeu a bola dentro da área em condição de finalizar, o atacante empatou com chute cruzado aos 25. Com 14 gols, ele está a um de Thiago Galhardo, do Internacional, principal artilheiro do Campeonato Brasileiro.

Antes do fim, Zé Rafael recebeu cartão vermelho por conta de solada na canela de Felipe Jonatan.

Os dois times agora se preocupam com as quartas de final da Libertadores. Na quarta-feira (9), o Santos vai a Porto Alegre enfrentar o Grêmio. Um dia antes, o Palmeiras viaja ao Paraguai para jogar contra o Libertad.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.