Descrição de chapéu tênis tênis

Naomi Osaka é eliminada do US Open e diz que vai dar um tempo na carreira

Bicampeã do torneio perde na terceira rodada para a canadense Leylah Fernandez

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Nova York | Reuters

Após ser eliminada na terceira rodada do US Open, na noite desta sexta (3), a tenista japonesa Naomi Osaka disse que pensa em dar uma pausa na carreira.

"Estou tentando descobrir o que quero fazer. Honestamente, não sei quando vou jogar minha próxima partida de tênis", disse, em lágrimas, durante entrevista coletiva após perder por 2 sets a 1 (5/7, 7/6 e 6/4) para a canadense Leylah Fernandez.

"Acho que vou parar por um tempo", afirmou a atleta.

Osaka é bicampeã do US Open —venceu em 2018 e 2020— e a atual número três do mundo no ranking da WTA (Women's Tennis Association).

A tenista Naomi Osaka, que perdeu para a canadense Leylah Fernandez na terceira rodada do US Open, nesta sexta (3)
A tenista Naomi Osaka, que perdeu para a canadense Leylah Fernandez na terceira rodada do US Open, nesta sexta (3) - Ed Jones/AFP

A tenista disse que lutou para conter suas emoções durante o jogo. No fim do segundo set, Osaka perdeu a paciência e jogou a raquete duas vezes na quadra, quando Fernandez marcou cinco pontos consecutivos no tiebreak.

"Eu realmente sinto muito por isso", afirmou. "Eu estava dizendo a mim mesma para ficar calma, mas acho que estava perto de explodir."

"Gosto de desafios, mas recentemente me sinto ansiosa quando as coisas não acontecem do meu jeito. Não sei por que isso está acontecendo agora."

As dificuldades de Osaka continuaram quando a canadense de 18 anos quebrou seu saque no início do terceiro set. No segundo game, Osaka rebateu uma bola para a arquibancada e recebeu uma advertência do árbitro. No fim, acabou o set sem chegar perto de quebrar o saque de Fernandez, que vai enfrentar a campeã de 2016, Angelique Kerber, da Alemanha, na próxima rodada.

Vencedora de quatro títulos de Grand Slam e uma das atletas mais bem pagas do mundo, Osaka tem apresentado uma performance irregular desde que desistiu de Roland Garros, em maio, após receber uma multa de US$ 15 mil da organização por não comparecer a uma entrevista coletiva.

Na época, ela disse que a obrigatoriedade desses compromissos e o comportamento de alguns jornalistas mina a saúde mental dos atletas. Depois, revelou que sofre com crises de depressão desde a final do US Open de 2018.

"Eu sinto que, quando ganho, não fico feliz. Sinto um alívio. E, quando perco, me sinto muito triste", disse. "Não acho que isso seja normal."

No último dia 16, durante o WTA 1.000 de Cincinnati, ela chorou e interrompeu uma entrevista coletiva depois de ser confrontada por um jornalista sobre sua relação com a imprensa.

"Desde que eu era mais nova, houve muito interesse da mídia em mim, e acho que isso é por conta da minha história de vida. Eu não posso fazer nada se algumas coisas que eu tuíto ou coisas que eu digo criam uma série de matérias e coisas do tipo. Mas eu também diria que não sei muito bem como balancear os dois [a mídia e a exposição]", afirmou.

Estrela da delegação japonesa nas Olimpíadas de Tóquio, Osaka, que acendeu a pira olímpica na cerimônia de abertura, foi eliminada nas oitavas de final do torneio com apresentação apática diante da tcheca Marketa Vondrousova, que triunfou por 2 sets a 0 (6/1 e 6/4).

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.