Beijo gay vence Grande Prêmio em ano de séries e inovações

Jornalismo da Folha aprofundou coberturas e consolidou novo formato para transmitir conteúdos

São Paulo

No ano em que ataques à imprensa e flertes com a censura se tornaram constantes na política, o Prêmio Folha de Jornalismo de 2019 fez uma escolha inusitada: concedeu o maior prêmio à primeira página da edição de 7 de setembro, que trouxe a ilustração de um beijo gay dos quadrinhos.

“Nós tínhamos três alternativas de imagem: a própria ilustração do beijo, as fotos dos fiscais recolhendo os quadrinhos na Bienal do Livro do Rio e as versões do beijo criadas por chargistas do jornal”, conta o diagramador Maicon Silva.

A ilustração se impôs naturalmente. “Mas não tínhamos noção da enorme repercussão que a decisão provocaria.” A premiação interna da Folha ocorre desde 1993 e destaca trabalhos jornalísticos em seis categorias (Grande Prêmio, Reportagem, Edição, Arte, Imagem e Especial).

GRANDE PRÊMIO FOLHA DE JORNALISMO “Primeira Página - Beijo Gay” - 7.set.2019 - Reprodução

Na categoria Reportagem venceu a série “Desigualdade Global”. “Se olharmos o mundo como uma laranja, ele está mais igual por fora, porque países asiáticos cresceram e tiraram milhões da pobreza. Mas, ao olhar cada país —os gomos da laranja—, vemos o crescimento da desigualdade e da concentração da renda nos mais ricos”, diz o repórter Fernando Canzian.

Outra série de reportagens levou o prêmio na categoria Especial, ao expor um calcanhar de aquiles do desenvolvimento brasileiro.

“Não é sexy escrever sobre cocô nem é problema novo, mas está na cara de todos e tem pouca atenção no debate público. São 100 milhões de brasileiros sem acesso à rede de esgoto”, diz Luciana Coelho, editora de Cotidiano.

Na categoria Serviço ganhou a cobertura da reforma da Previdência, tema que mobilizou governo e Congresso em 2019. “Ficamos felizes pelo reconhecimento de anos de dedicação à cobertura de Previdência”, diz Luciana Lazarini, coordenadora do caderno Grana, do Agora São Paulo.

0
IMAGEM “Resgate”- 6.fev.2019 (Cotidiano) - Folhapress

O podcast Café da Manhã, que estreou em 1º de janeiro de 2019, venceu em Edição. “O ano de 2019 foi de consolidação dos podcasts. Criamos equipe exclusiva para áudio, botamos em prática um podcast diário e lançamos programas”, afirma o editor Rodrigo Vizeu.

Em Imagem, venceu “Resgate”, de Eduardo Anizelli. “Eu limpava minha lente a cada foto, porque as hélices jogavam lama para todo lado.” Em Arte, o trabalho premiado foi “Homem na Lua, 50”, sobre o feito de Neil Armstrong em 1969. “Contamos a história para uma geração pouco familiarizada com a conquista”, diz o infografista Luciano Veronezi.

A comissão julgadora foi formada por Uirá Machado, secretário-assistente de Redação, a ombudsman da Folha, Flavia Lima, a gerente de Marketing e Desenvolvimento do jornal, Letícia Carvalho, e os colunistas Vera Iaconelli e Fernando Schüler.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.