Descrição de chapéu
Deixa que eu leio sozinho

'O Grande Ivan' retrata gorila doce e sensível que vivia preso em shopping

Atração principal de show, ele precisava fingir que era feroz e assustar a plateia

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Toda noite, durante quase toda a sua vida de adulto, Ivan, um gorila de 190 kg, precisava se concentrar para entrar em cena. Ele era a apresentação mais importante do show de animais do shopping Big Top, nos Estados Unidos.

Quando era anunciado por Mack, o dono do circo, Ivan entrava em cena rugindo e batendo no peito, assustando e encantando a plateia. O gorila vivia em uma jaula no fundo do shopping, ao lado dos outros animais que se apresentavam no show.

Cena do filme 'O Grande Ivan', disponível no Disney+
Cena do filme 'O Grande Ivan', disponível no Disney+ - Divulgação

Tinha a elefante Stella, que gostava de contar histórias aos outros bichos depois que os humanos iam para casa; a foca ansiosa Frankie, que sempre achava que ia derrubar a bola; a poodle gigante Snickers, a única que tinha permissão de dormir no escritório do dono; o coelho Murphy, que dirigia um minicarro de bombeiro; a galinha Henrietta, que tinha um topetão e se apresentava jogando basebol; e a arara Thelma, que repetia o que os outros falavam.

Além dos animais do circo, Ivan tinha um melhor amigo, o vira-lata Bob, que entrava sem permissão em sua jaula e gostava de dormir quentinho no barrigão do gorila. Tinha também a Julia, uma menininha de verdade, filha do único funcionário do circo, chamado George, que passava horas sentada na beirada da sua jaula fazendo desenhos e conversando com ele.

Apesar de levar essa vida boba, Ivan não reclamava e gostava da rotina. Só não entendia porque precisava fingir que estava sempre tão bravo.

Um dia, Julia dá a Ivan os seus gizes de cera antigos, e ele começa a desenhar. A menina gosta do que vê e passa a guardar os desenhos do gorila. E ele vai caprichando cada vez mais.

Mas, pouco a pouco, as pessoas que lotavam o auditório não vêm mais ver os bichos. O público vai diminuindo, diminuindo, e Mack, o dono, vai ficando nervoso, nervoso.

Sem a plateia, ele não ganha dinheiro para sustentar todos os bichos, pagar seu funcionário e receber seu salário. Então, tem uma ideia: trazer uma nova atração.

É assim que entra na história de Ivan a elefantinha bebê Ruby, a coisa mais fofa do mundo. Ela é comprada por Mack e logo é adotada por Stella, a elefanta adulta, que passa a se apresentar com ela. Ruby faz o maior sucesso, e o público volta para conhecer a novidade.

Mack fica feliz da vida, e Ivan, um pouco enciumado. Afinal ele costumava ser a grande atração. Mas Ruby é tão meiga e inocente que acaba conquistando o gorila, que conta para ela sobre sua infância na selva.

Nessa parte, o filme fica bem triste. Os animais lembram quando eram pequenos e foram capturados por caçadores, que muitas vezes matavam os bichos adultos e vendiam seus filhotes ilegalmente. Ivan foi comprado bebezinho por Mack e sua mulher, depois de ter assistido a uma cena terrível, em que o pai é atingido por um caçador.

Mas o casal o tratava com muito amor, como se fosse uma criança. Eles levavam o gorilinha para o parque, onde ele gostava especialmente do balanço, dormiam com ele na cama, faziam bolo e festinha de aniversário, passeavam com ele de carro.

Mas um gorila é um gorila. E Ivan foi crescendo, ficando enorme e pesado e fazendo tanta confusão que Mack decide levá-lo para viver no shopping e virar uma atração.

Se eu continuar contando tantos detalhes da trama, vai ficar sem graça assistir —e vale muito a pena assistir. “O Grande Ivan” é baseado em um livro de mesmo nome, escrito por Katherine Applegate.

Nem tudo que acontece no filme é verdade, mas existiu mesmo um gorila com esse nome, que viveu 27 anos preso em uma jaula em um shopping, e, em 1994, foi acolhido por um zoológico em Atlanta, nos Estados Unidos. Lá, ele finalmente pode voltar a viver com outros de sua espécie.

O GRANDE IVAN

  • Onde Disponível no Disney+
  • Classificação 10 anos
  • Elenco Com Sam Rockwell, Bryan Cranston, Phillipa Soo e outros
  • Produção EUA, 2020
  • Direção Thea Sharrock

DEIXA QUE EU LEIO SOZINHO

Ofereça este texto para uma criança praticar a leitura autônoma

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.