Nova York processa empresa de Weinstein por não proteger funcionários de assédio

Produtor foi acusado de assédio, agressões sexuais e estupro por mulheres

Harvey Weinstein em evento da Weinstein Company e da Netflix após o Globo de Ouro, em janeiro de 2017 - Chris Pizzello/Invision/AP
AFP

O procurador-geral do estado de Nova York, Eric Schneiderman, anunciou neste domingo que apresentou uma ação judicial contra o estúdio do ex-produtor de Hollywood Harvey Weinstein por não proteger seus funcionários de assédio e agressão sexual.

"A denúncia do procurador-geral garante que os executivos da empresa e da diretoria fracassaram reiteradamente em proteger os funcionários contra o assédio sexual, a intimidação e a discriminação do então presidente Harvey Weinstein", indica a Procuradoria em um comunicado.

O produtor foi acusado por uma centena de mulheres de assédio, agressões sexuais e até estupro. Várias vítimas acionaram a Justiça, mas, até o momento, ele não foi indiciado em nenhum caso.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.