Descrição de chapéu música

Reconhecido intérprete, Zé Renato volta a mostrar seu lado compositor

'Bebedouro' é 1º disco de canções próprias do músico do Boca Livre desde 2011

Luiz Fernando Vianna
São Paulo

Zé Renato é um dos intérpretes mais elogiados e requisitados da música brasileira. Surpreende, portanto, ouvi-lo dizer que cantar nunca foi o seu objetivo principal.

"Minha ideia era mostrar minhas músicas. Sou indisciplinado, não tenho muita técnica. Não sou o melhor exemplo de cantor."

Com o lançamento agora de "Bebedouro", seu primeiro CD de composições próprias desde 2011 (ano de "Breves Minutos"), Zé Renato volta a mostrar esse lado que permanece não tão conhecido, embora ele já tenha 41 anos de carreira, 61 de idade e seja coautor de sucessos como "Toada", carro-chefe do conjunto Boca Livre.

O compositor Zé Renato, que lança novo álbum, "Bebedouro"
O compositor Zé Renato, que lança novo álbum, "Bebedouro" - Divulgação

"Não me sinto à vontade para dizer se deveria ou não ter acontecido dessa forma. Realmente, muitas pessoas não sabem que eu componho, e isso gera um incômodo. Mas entendo que as coisas que fiz como intérprete tiveram maior ressonância", diz ele, que gravou discos marcantes dedicados aos repertórios de Sílvio Caldas (1989) e Zé Keti (1995).

BEBENDO FONTES

"Bebedouro" reúne sua produção recente. As nove faixas foram criadas nos últimos quatro anos. Elas têm em comum certa delicadeza, o que permitiu a Zé Renato e ao produtor Zé Nogueira traçarem um caminho sonoro assentado sobre violão (do próprio Zé Renato), piano (Cristovão Bastos), contrabaixo (Guto Wirtti) e bateria (Kiko Freitas).

"O título é 'Bebedouro' porque estou bebendo em fontes que são discos de cabeceira meus, como o 'Limite das Águas' [1976], do Edu Lobo. Queria uma sonoridade semelhante", conta o artista, também citando Egberto Gismonti e Hermeto Pascoal como referências.

PARCERIAS

Alguns instrumentos se somam à base, além das vozes de Dori Caymmi (em "Samba e Nada Mais", parceria com João Cavalcanti), Moraes Moreira (em "Vamos Curtir o Amor", parceria com o próprio) e Marcelo de Lamare (em "Pedra do Mar", letra de Paulo Cesar Pinheiro).

A música que se desvia um pouco da sonoridade do CD é o samba "Agogô", feito com Moacyr Luz e com suingue de subúrbio carioca.

"Mesmo assim tem uma fonte, porque me lembra os discos do Zé Keti", assinala.

Embora com letra de um grande nome do samba, Nei Lopes, "Náufrago" é um samba-canção. Joyce Moreno, sua parceria mais antiga, comparece com "Sacopenapan" e "Noite". Capinam é o letrista de "Agora e Sempre". Paulo Cesar Pinheiro também está em "Fonte de Rei", que abre o CD.

Outro projeto de Zé Renato em 2018, como cantor e compositor, são as comemorações dos 40 anos do Boca Livre.


BEBEDOURO
ARTISTA
 Zé Renato
GRAVADORA independente
QUANTO R$ 30

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.