Descrição de chapéu Flip

Casa Folha promove debates na Flip sobre questões contemporâneas

Espaço reúne nomes como Ney Matogrosso e Bruna Lombardi; mesa de jornalismo literário homenageia Otavio Frias Filho

São Paulo

No dia 10 de julho, começa a nova edição da Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), que vai até dia 14. E a Casa Folha, espaço de debates do jornal, volta a abrir as portas no evento. Os frequentadores da festa já conhecem o endereço —rua do Comércio, 8, no centro histórico.

De 11 a 13/7, a Casa Folha recebe jornalistas, escritores, artistas e economistas, entre outros, para discutir grandes questões da sociedade contemporânea. A entrada é gratuita. 

No primeiro dia, às 9h30, a programação começa com Luiz Felipe Pondé, escritor, ensaísta e colunista do jornal. Ele lança na Flip “Saudades de Deus e Outros Textos”, que sai pelo Três Estrelas, selo editorial do Grupo Folha.

Às 15h, haverá o encontro entre o jornalista francês Frédéric Martel, autor de “No Armário do Vaticano” (Companhia das Letras), e Reinaldo José Lopes, jornalista da Folha especializado em ciência. O debate recebeu o título de A Igreja de Francisco e a Biologia de Darwin.

O último debate do dia é às 18h30. O escritor e roteirista Antonio Prata conversa com a escritora Djamila Ribeiro na mesa Incorretamente Políticos. Ambos são colunistas do jornal.

Em 12/7, o dia começa com uma conversa entre o escritor, pesquisador e biógrafo Ruy Castro, colunista da Folha, e a escritora Heloísa Seixas.

Às 15h, o debate é entre o jornalista Mario Cesar Carvalho e o escritor Sérgio Rodrigues, também colunista do jornal. Eles conversam sobre “Os Sertões”, de Euclides da Cunha, o autor homenageado da Flip. O tema é o livro “A Terra, o Homem, a Luta”, guia de leitura da obra escrito por Roberto Ventura, morto em 2002, e reeditado pela Três Estrelas. 

Às 18h30, o assunto são os efeitos da escravidão na economia brasileira, com o economista Samuel Pessôa, colunista do jornal, e Cida Bento, diretora-executiva do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades —e eleita pela revista The Economist uma das 50 pessoas mais influentes do mundo no campo da diversidade.

Em 13/7, o dia começa com a mesa Jornalismo Literário - Uma Homenagem a Otavio Frias Filho. Ele dirigiu a Redação da Folha até sua morte, em agosto do ano passado. Participam o ensaísta José Miguel Wisnik, o advogado Luís Francisco Carvalho Filho e a escritora Tati Bernardi, os dois últimos assinam colunas no jornal. 

Às 15h, é a vez da atriz Bruna Lombardi e da antropóloga Mirian Goldenberg debaterem se é melhor ser feliz ou ter razão. O último encontro é às 19h, com o cantor Ney Matogrosso. Também participa o escritor e jornalista Miguel de Almeida, que lança o livro “Primavera nos Dentes - A História dos Secos e Molhados” (Três Estrelas).

Além dos debates, a casa terá duas outras atrações. No dia 12/7, às 21h, haverá uma festa com o DJ Pedro Elias. Em 13/7, no mesmo horário, haverá um sarau com os músicos do coletivo Emma.

A Casa Folha também tem uma cafeteria patrocinada pela Melitta, que oferece gratuitamente cafés de vários tipos de grãos. Outro destaque é a livraria, com títulos da Três Estrelas, da Publifolha e das Coleções Folha.

Veja a programação completa.


CASA FOLHA

Quinta-feira, 11 de julho

9h30 Quebrando o Coro dos Contentes 
Luiz Felipe Pondé

15h A Igreja de Francisco e a Biologia de Darwin 
Frédéric Martel e Reinaldo José lopes

18h30 Incorretamente Políticos 
Antonio Prata e Djamila Ribeiro

Sexta-feira, 12 de julho

9h30 Um Dedo de Prosa 
Heloísa Seixas e Ruy Castro

15h A Linguagem de ‘Os Sertões’ 
Mario Cesar Carvalho e Sérgio Rodrigues

18h30 Repercussões da Escravidão na Dinâmica Econômica Brasileira 
Cida Bento e Samuel Pessôa

Sábado, 13 de julho

9h30 Jornalismo Literário - Uma Homenagem a Otavio Frias Filho 
José Miguel Wisnik, Luís Francisco Carvalho Filho e Tati Bernardi

15h Ser Feliz ou Ter Razão? 
Bruna Lombardi e Mirian Goldenberg

19h Androginia, Rock e Censura 
Miguel de Almeida e Ney Matogrosso

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.