Descrição de chapéu Artes Cênicas

Pinguim inspirado em Greta Thunberg incita crianças a preservar a natureza em peça

Musical marca os 50 anos do grupo Giramundo e os 25 da Palavra Cantada dialogando com contexto do país

São Paulo

Em um mundo com paisagens exuberantes, florestas são derrubadas por motosserras, geleiras derretem cada vez mais rápido e espécies estão ameaçadas de extinção. 

Este cenário, que poderia ter sido tirado do noticiário, é o tema do musical infantil “As Aventuras de Pauleco e Sandreca no Planeta Água”, que estreia em São Paulo neste sábado (9), no Teatro Opus. Em apenas três apresentações, com poucos ingressos disponíveis, a temporada paulistana encerra a turnê nacional da montagem. 

“Todos os temas que a gente aborda, este ano, entraram numa situação emergencial. O espetáculo é muito atual”, conta Sandra Peres, integrante da Palavra Cantada, que assina a direção geral e musical da produção. 

Desenvolvido há cerca de dois anos, o espetáculo celebra os 25 anos do duo de Peres e Paulo Tatit, cujo canal musical no YouTube ultrapassa 900 milhões de visualizações, e os 50 do Giramundo, grupo de teatro de bonecos da família Apocalypse, que reúne mais de 1.500 figuras no repertório. 

Com dez músicas da Palavra Cantada e uma do rapper Fabio Brazza, a peça narra a jornada dos protagonistas por diferentes biomas brasileiros, tendo a água como elemento central. Apresentar o meio ambiente para as crianças, destacando a imponência da natureza sem esconder a situação emergencial de algumas regiões do planeta, é o objetivo da história, que tem roteiro de Fernando Salém.  

Além dos dois personagens-título, conhecidos pelos populares vídeos na internet, a peça acompanha figuras como Pingo, dublado por Brazza, uma gota d’água que corre o risco de desaparecer, e Rejeito, um frankenstein formado por objetos descartados. 

Todos os 40 bonecos usados no espetáculo foram confeccionados exclusivamente com material reutilizado. “Quando a gente estava construindo, o que eu mais pensava era ‘será que a criança vai conseguir identificar e fazer um boneco em casa?’”, conta Beatriz Apocalypse, responsável pela direção artística e de cena.

Detalhe do personagem Rejeito, criado pelo Giramundo
Detalhe do personagem Rejeito, criado pelo Giramundo - Divulgação

Durante a aventura, os protagonistas interagem com figuras como a Maré, dublada pela cantora Fafá de Belém, e a pinguim Greta —homenagem à ativista ambiental sueca Greta Thunberg—, que lidera uma manifestação pela preservação da própria espécie, ameaçada pelo degelo nos polos.

Segundo Peres, trazer a personagem para falar de engajamento com as crianças foi algo intencional. Ela é incisiva ao afirmar que “abordar esse assunto não é uma predileção pelo ativismo, é um compromisso com a realidade”. 

Quanto às referências diretas que a montagem estabelece com a situação ambiental no Brasil, a diretora esclarece que o musical vem sendo idealizado há anos e não representa uma provocação intencional. “Nossa matéria é comentar o que está acontecendo cotidianamente. Queimada na Amazônia sempre teve. Agora do jeito que está é assustador, diferente e preocupante”, afirma. 

Mesmo denunciando a situação ambiental, o espetáculo transmite uma mensagem otimista sobre o meio ambiente e incentiva o cuidado com a natureza por meio de um estímulo positivo.

“Não tem uma música fatalista que fale que a água vai acabar. A natureza é vista com beleza e exuberância, não como falta. E no momento que a criança tiver a imagem de que aquilo é muito legal e bonito, ela vai ajudar a cuidar”, explica Peres. 

As Aventuras de Pauleco e Sandreca no Planeta Água

  • Quando Sáb. (9), às 18h. Dom. (10), às 14h e às 17h
  • Onde Teatro Opus, av. Dra.Ruth Cardoso, 4.777, Pinheiros
  • Preço R$ 40 a R$ 80
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.