Curadora italiana será quinta mulher a organizar a Bienal de Veneza, no ano que vem

À frente de um programa de arte pública em Nova York, Cecilia Alemani é anunciada diretora artística da mostra

São Paulo

Evento mais tradicional de artes plásticas do globo, a Bienal de Veneza anunciou,  nesta sexta (10), a diretora artística de sua 59ª edição, que acontece no ano que vem.

Cecilia Alemani é a quinta mulher a ocupar o posto, e a primeira italiana. A bienal só começou a escolher mulheres para a sua diretoria artística em 2005, mais de meio século (ou 28 edições) depois de seu início, em 1948.

Mulher de blazer preto num dia de sol
A curadora italiana Cecilia Alemani, diretora artística da próxima Bienal de Veneza, em 2021 - Reprodução/Facebook/High Line Art

Radicada em Nova York desde 2003, Alemani é curadora-chefe de um programa de arte pública no High Line, parque suspenso erguido sobre uma antiga ferrovia inaugurado em 2009. Lá, organizou exposições de John Baldessari, Rashid Johnson, Barbara Kruger, entre outros.

Ela também esteve à frente do pavilhão da Itália na Bienal de Veneza em 2017, e de programas paralelos de feiras como Frieze e Art Basel.

Alemani sucede o americano Ralph Rugoff na direção artística da mostra. No ano passado, ele apresentou um planeta corroído, refém das fake news, em “Que Você Viva em Tempos Interessantes”.

O marido da curadora, o também italiano Massimiliano Gioni, diretor artístico do New Museum, em Nova York, é outro que já organizou a exposição, em 2013.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.