Descrição de chapéu
Cinema

'E Agora? A Mamãe Saiu de Férias!' tem passagens constrangedoras

Houve um período em que os italianos sabiam como ninguém fazer rir dos imbróglios das famílias

E Agora? A Mamãe Saiu de Férias!

  • Classificação 12 anos
  • Elenco Fabio de Luigi, Valentina Lodovini, Angelica Elli, Bianca Usai
  • Produção Itália, 2019
  • Direção Alessandro Genovesi

Houve um período, e nem faz tanto tempo assim, em que os diretores da Itália sabiam como ninguém fazer rir dos imbróglios típicos das famílias. 

Lançavam filmes que falavam ao grande público com roteiros engenhosos e elencos brilhantes.

São bons exemplos de produções cômicas italianas em torno de situações familiares “Divórcio à Italiana” (1960), de Pietro Germi; “Feios, Sujos e Malvados” (1976), de Ettore Scola; e “Parente É Serpente” (1992), de Mario Monicelli. 

Diretor de “E Agora? A Mamãe Saiu de Férias!”, que chega aos cinemas brasileiros, o cineasta milanês Alessandro Genovesi deve desconfiar que não tem o talento dos nomes acima citados. 

Mas ele poderia ao menos ter se empenhado um pouco mais para honrar a tradição das comédias do seu país. “E Agora?” chega a exibir passagens constrangedoras.

No filme de Genovesi, Giulia (Valentina Lodovini) é uma advogada que desistiu da carreira para cuidar dos três filhos, uma adolescente e duas crianças. Por outro lado, seu marido, Carlo (Fabio De Luigi), executivo de uma grande empresa, está sempre desatento à rotina dos garotos.

Giulia se cansa do fardo familiar e decide fazer uma viagem com a irmã para Cuba, entregando a Carlo a incumbência de acompanhar os filhos. 

O mote certamente não ajuda. Um pai que repensa seu dia a dia para se aproximar dos filhos é um tema explorado à exaustão por Hollywood.

Mas isso não seria um grande problema se Genovesi, também um dos roteiristas do filme, fosse capaz de encadear situações realmente engraçadas conduzidas por personagens de alguma ambivalência.

Não é o que acontece. Num certo momento, um amigo do filho golpeia o rosto de Carlo com um bastão, arrancando os dois dentes da frente do executivo. Ele vai, então, a uma loja de fantasias e compra dentes postiços, ganhando feições de um coelho.

Talvez um comediante extraordinário como Jerry Lewis pudesse extrair humor de uma piada tão limitada. O protagonista Fabio De Luigi não tem essa capacidade.

Além disso, as cenas do pai com os dentes avantajados se estendem além da conta, o que torna tudo mais patético.

E assim, transbordando clichês e estereótipos, “E Agora?” sai do nada para chegar a lugar algum. Saudade de uma Itália que sabia ser popular e criativa. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.