Descrição de chapéu Cinema Coronavírus

Sony adia suas principais estreias de cinema para 2021 por causa do coronavírus

Filme protagonizado por Tom Hanks perdeu data de lançamento, enquanto Kevin Hart foi antecipado

São Paulo

A pandemia de coronavírus bagunçou completamente os calendários cinematográficos ao redor do mundo. Diversos estúdios precisaram adiar as estreias programadas para o primeiro semestre de 2020 diante do fechamento de salas de cinema e da necessidade de isolamento.

A Sony, no entanto, anunciou nesta terça-feira (31) que vai adiar todas as suas principais estreias do ano para 2021, inclusive aquelas que estavam programadas para entrar em cartaz no segundo semestre.

Perderam suas datas originais de lançamento o infantil "Peter Rabbit 2: O Fugitivo", que foi para 15 de janeiro, e os blockbusters "Ghostbusters - Mais Além" e "Morbius", agora previstos para 5 de março e 19 de março, respectivamente.

Isso também gerou mudanças no calendário do ano que vem. "Uncharted", adaptação do game homônimo protagonizada por Tom Holland, foi de março de 2021 para 8 de outubro do mesmo ano. As datas dizem respeito às estreias nos Estados Unidos.

Entre as alterações também estão o cancelamento da estreia de "Greyhound", com Tom Hanks, antes previsto para junho e agora sem data, de acordo com a Variety. O único filme que agora poderá ser visto antes pelo público é "Fatherhood", drama com Kevin Hart que foi antecipado para de outubro de 2020, nos EUA e também no Brasil, em vez de janeiro de 2021.

A divisão da Sony no Brasil também divulgou, nesta quarta (1º), as datas desses e de outros longas para o país. "Peter Rabbit 2: O Fugitivo" ficou para 11 de fevereiro, enquanto "Ghostbusters - Mais Além" e "Morbius", para 4 de março e 18 de março. "Uncharted" também chega por aqui um dia antes que nos EUA, em 7 de outubro de 2021.

Outras estreias programadas no Brasil são "Monster Hunter" (3 de setembro de 2020), um projeto sem título inspirado nos quadrinhos da Marvel (1º de outubro de 2020) e "Super Conectados" (8 de outubro de 2020).

Para 2021, ficaram "Escape Room 2" (7 de janeiro), "Happiest Season" (14 de janeiro), um projeto inspirado na história de Cinderella (4 de fevereiro), "Vivo" (15 de abril) e outro projeto da Marvel sem título (15 de julho). Uma sequência de animação da Sony encerra a agenda montada até agora em 6 de janeiro de 2022.

Com a decisão, a Sony se torna o estúdio que até agora tomou medidas mais drásticas e definitivas sobre seu calendário de longas diante da Covid-19.

Todos os grandes estúdios de Hollywood já haviam mexido em sua programação, mas se limitaram, em grande parte, ao primeiro semestre de 2020. "Mulan", da Disney, por exemplo, deixou de entrar em cartaz em março, mas ainda não ganhou nova data de estreia, diante da imprevisibilidade da atual pandemia.​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.