Cirque du Soleil sai de recuperação judicial após novo acordo com credores

Pandemia forçou cancelamento de todas as apresentações do grupo, que demitiu 95% de sua equipe

Reuters

O grupo canadense Cirque du Soleil anunciou nesta terça-feira (24) que saiu da recuperação judicial, após a pandemia de Covid-19 forçar o famoso circo a cancelar seus espetáculos e demitir seus artistas no início do ano.

O circo, que atingiu reconhecimento mundial após surgir de uma trupe de artistas de rua nos anos 1980, cortou cerca de 95% de sua força de trabalho de 4.000 pessoas e suspendeu todas as suas apresentações por causa da pandemia.

Após um pedido de recuperação judicial apresentado em junho, o circo chegou em seguida a um novo acordo de compra com credores.

Um grupo de credores, liderado pelo Catalyst Capital Group, havia feito uma proposta para tomar o controle do grupo circense em julho, substituindo um acordo com os acionistas do Cirque du Soleil que incluía financiamento da dívida por meio de um órgão governamental da província canadense de Quebec.

Como parte do acordo com os credores, o Cirque du Soleil anunciou que iria acrescentar o ex-CEO da MGM Resorts, Jim Murren, e Gabriel de Alba, um dos sócios do Catalyst Capital Group, ao seu conselho.

Daniel Lamarre continua como o presidente do grupo e a empresa manterá sua sede em Montreal.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.