'O Brasil deve salvar o mundo', diz Caetano em live com canções de seu exílio

Músico cantou e tocou 'London London' e 'It's a Long Way' em apresentação virtual no Festival Cultura Inglesa

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Os anos do exílio em Londres e a influência da cultura britânica pautaram a live que Caetano Veloso apresentou na noite deste domingo (7), dentro da programação do Festival Cultura Inglesa. O vídeo fica disponível gratuitamente no site do evento até o dia 28/3.

Preso pela ditadura em 1968, o músico partiu para a Inglaterra junto a Gilberto Gil no ano seguinte. O período foi marcado por dois álbuns com composições em inglês, o melancólico "Caetano Veloso" (1971) e "Transa", lançado em 1972, quando o baiano já havia voltado ao Brasil.

Caetano abriu a apresentação com "London, London", do LP batizado com seu nome. Depois, tocou "If You Hold a Stone", do mesmo álbum, e "Nine out of Ten" e "It's a Long Way", ambos de "Transa".

As performances musicais pontuaram o bate-papo entre Ceatano e o escritor Felipe Franco Munhoz, que fez perguntas sobre seu processo criativo e histórias do período.

Caetano Veloso durante seu exílio em Londres, 1970; sentado em uma escada, músico veste casaco de pele branco
O cantor e compositor Caetano Veloso durante seu exílio em Londres, 1970 - Divulgação

Na conversa, o baiano contou que, para ele, os dois anos e meio em que esteve na Inglaterra foram uma espécie de extensão dos meses em que esteve preso no Brasil. "Nós [ele e Gilberto Gil] fomos levados por um avião da FAB para Salvador, supostamente para sermos soltos. E, ao chegar lá, a Aeronáutica nos prendeu de novo e ficamos quatro meses nessa situação." Depois disso, a dupla atravessou o Atlântico para começar o exílio.

"É curioso porque evidentemente é muito diferente você estar [preso] em Salvador, sem poder sair da cidade, de estar em um país estrangeiro, sem saber quando vai poder voltar para o seu país. Mas o conjunto põe o período do exílio como parte da prisão", afirmou.

Caetano também comentou como os britânicos influenciaram sua produção artística. Foi o produtor Ralph Mace, por exemplo, que o incentivou a se deixar gravar tocando violão em um disco.

​"Os ingleses achavam que o meu violão era bom, original, que ninguém iria apresentar as músicas como eu, e isso foi muito bom", contou. O músico também disse que acreditava que seria Gil, não ele, que iria mergulhar na composição musical anglófona.

Antes do exílio, Caetano tinha escrito duas canções em inglês "propositalmente feio, porque eu não sabia muito bem", "Lost in The Paradise" e "Empty Boat". A primeira, ele contou que o músico americano Devendra Banhart canta em inglês errado (o correto seria "lost in paradise") e que acha muito legal.

Munhoz mencinou um papo entre os dois no qual Caetano teria dito que "o Brasil pode salvar o mundo". Ao comentar a frase, o músico questionou se usou mesmo este verbo. Mas reafirmou: "Eu acho que o Brasil deve salvar o mundo, que essa é a missão do Brasil".

Para Veloso, um país de "dimensões continentais, no hemisfério sul, que fala português" tem um acúmulo de desvantagens que deveriam ser reconhecidas como uma oportunidade pelos brasileiros. "A gente tem que reconhecer isso e assumir a responsabilidade", disse.

CAETANO VELOSO NO FESTIVAL CULTURA INGLESA

  • Quando Domingo (7), às 19h; disponível até 28/3
  • Onde Plataforma digital do 24º Cultura Inglesa Festival
  • Preço Gratuito
  • Link https://culturainglesafestival.com.br/
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.