Exposições de Oiticica e Trisha Brown no Masp e outras dicas culturais

Sugestões da Ilustríssima também têm mostra de Hudinilson Jr. e Marcelo Tinoco

[exposição] Hélio Oiticica no MASP

Masp. tel. (11) 3149-5959. De qua. a dom., das 10h às 18h. De 20/3 a 7/6. R$ 45 (grátis às terças)

A exposição “Oiticica: A Dança na Minha Experiência” traz os parangolés criados pelo artista e outras obras que se relacionam com os temas da dança e do ritmo, além de documentos como fotos e textos de Oiticica. Os parangolés, chamados pelo artista de anti-arte, foram criados após o envolvimento de Oiticica com a Estação Primeira da Mangueira, escola de samba do Rio de, experiência a partir da qual a música, a dança e o movimento foram incorporados à produção do artista.

[exposição] Hudinilson Jr.: explícito

Estação Pinacoteca. tel. (11) 3335-4990. Qua. a Seg., de 14/3 a 17/8. Grátis. 14 anos

A mostra reúne 77 obras de Hudinilson Urbano Jr., entre fotografias, xilogravuras, desenhos, documentos, cadernos, objetos e trabalhos em xerografia. Morto em 2013, ele foi pioneiro no uso do xerox como plataforma artística, e coordenou o Centro de Xerografia na Pinacoteca, onde já teve quatro exposições individuais.

[exposição] Marcelo Tinoco

Galeria Zipper. tel. (11) 4306-4306. De 29/02 a 28/03. Grátis

Segunda exposição individual de Marcelo Tinoco na Galeria Zipper, “Museu de Novidades” realoca personagens icônicos da história da arte, como “O Nascimento de Vênus”, de Botticelli, em cenários inspirados no paisagismo de Burle Marx. Tinoco usa da “fotografia multidisciplinar”, método que mistura registro fotográfico, desenho de observação e pintura digital, para dar outros significados às obras escolhidas.

[documentário] Miles Davis: Birth of the Cool

Documentário. 2019. 1h55. Netflix

Misturando imagens consagradas com fotografias e filmagens de acervos pessoais, o documentário dirigido por Stanley Nelson faz as vezes de biografia do ícone do jazz que personificou o “cool” em meados do século 20. Com roteiro cronológico que revisita os diversos álbuns de Davis e mostra os meandros de sua intensa vida pessoal, o filme traz depoimentos inéditos e gravados de grandes parceiros do trompetista, como Herbie Hancock, Wayne Shorter e Gil Evans, além de seus filhos, ex-companheiras e agentes.

[livro] Escritor por Escritor: Machado de Assis

Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. 612 págs. R$ 90

Com textos de mais de 70 autores, “Escritor por Escritor: Machado de Assis segundo seus pares 1939-2008” reúne análises, discussões, críticas e elogios produzidos entre 1939 e 2008 sobre a vida e a obra de Machado de Assis. Entre eles, Ariano Suassuna, Oswald de Andrade, Rachel de Queiroz, Graciliano Ramos, Ferreira Gullar, Jorge Amado, Drummond e Lygia Fagundes Telles, e outros. O livro é a continuação do primeiro volume, que abrangeu o período entre 1908 (ano de morte do escritor) e 1938.

[exposição] Trisha Brown: coreografar a vida

Masp. tel. (11) 3149-5959. De qua. a dom., das 10h às 18h. De 20/3 a 7/6. R$ 45 (grátis às terças)

Primeira no país dedicada à coreógrafa, a mostra “Trisha Brown: Coreografar a Vida” traz desenhos, fotografias, filmes e vídeos sobre sua obra. Considerada uma das fundadoras da dança pós-moderna, a coreógrafa, morta em 2017, foi pioneira na união de dança, artes visuais e performance.

[exposição] Antonio Dias: derrotas e vitórias

MAM-SP. tel. (11) 5085-1300. Ter. a Dom., entre 21/3 a 31/5. Das 10h às 17h30. R$ 10

A mostra contém pinturas, desenhos, instalações e vídeos do artista paraibano Antonio Dias, morto em 2018. De seu acervo pessoal, as obras, muitas raramente expostas, revelam as trajetórias profissional e pessoal do artista, marcadas por discussões políticas e temas existenciais.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.