Greve leva à falta de combustível em postos e filas em quatro estados

Sindicato pede que consumidores não façam corrida aos postos

Fila para abastecer em posto de gasolina em São José dos Campos (SP)
Fila para abastecer em posto de gasolina em São José dos Campos (SP) - Nilton Cardin
 
Marcelo Toledo Natália Portinari
Ribeirão Preto (SP) e São Paulo

Há postos de gasolina sem abastecimento em São Paulo , Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e no Distrito Federal devido à greve dos caminhoneiros autônomos.

De acordo com José Alberto Paiva Gouveia, presidente do Sincopetro  (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo) os postos trabalham com dois dias de estoque. Nesta quarta-feira (23), nenhum posto do Estado recebeu combustível.

"A paralisação começou na segunda. Na terça, alguns postos não receberam combustível, e hoje, na quarta, ninguém recebeu. As bases não entregaram nada", diz, se referindo ao estado de São Paulo. Os pontos de distribuição ficam em  Barueri, Guarulhos e São José dos Campos

Na noite desta quarta-feira, havia filas em postos da capital. 

fila de carros
Fila em posto de gasolina na avenida Luiz Dumont Villares, na Parada Inglesa, zona norte de SP - Roberta Zawit/Agora

No Vale do Paraíba, em São Paulo, ao longo do dia, os postos de gasolina registraram filas  quilométricas, e há locais que não receberam abastecimento na capital.

BLOQUEIOS

 

Em Minas Gerais, já há falta de combustível em postos em várias regiões do estado, de acordo com o Minaspetro (sindicato dos postos). 

O principal problema está no bloqueio da BR-381, onde fica a Regap (Refinaria Gabriel Passos), que impede o tráfego de caminhões. Devido a isso, as bases das companhias distribuidoras estão fechadas e postos na região metropolitana de Belo Horizonte e no interior não estão sendo reabastecidos.

“Caso o cenário de greve persista nas próximas horas e dias, há sim o risco de desabastecimento geral dos estoques, uma vez que os postos que ainda possuem o produto para a venda ao consumidor poderão não ter a efetiva renovação dos combustíveis armazenados”, diz trecho de nota do Minaspetro.

O sindicato ainda tem pedido aos consumidores que não façam “corrida aos postos”, para não acelerar o processo de desabastecimento dos estabelecimentos.

Essa corrida já tem sido registrada no interior de São Paulo. No Vale do Paraíba, há postos em São José dos Campos com filas quilométricas para abastecimento.

“Não sei até quando vai durar isso [greve] e minha gasolina estava quase acabando. O jeito é tentar encher o tanque até passar a paralisação”, afirmou o representante comercial Carlos Antonio Gonçalves, que aguardava havia mais de uma hora na fila para abastecer o carro.

Segundo a Fecombustíveis, que reúne sindicatos de postos, há também desabastecimentos de postos no Rio Grande do Sul, em cidades como Canguçu, Osório, Pelotas, Uruguaiana e Bagé.

GÁS

O Sindigás, que representa empresas distribuidoras de GLP, manifestou preocupação com o desabastecimento de gás natural. 

"A interdição das principais rodovias brasileiras impede a saída dos caminhões que transportam o gás, seja a granel ou em botijões, das bases de enchimento das distribuidoras até o consumidor final ou até as revendas de gás", diz a entidade.

"Há também veículos que estão parados em meio às estradas bloqueadas, impossibilitados de levar o gás para aquelas bases que não dispõem de dutos que liguem as refinarias às distribuidoras."

 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.