Alemanha investiga montadora Opel por relação com escândalo do diesel

No total, 60 mil veículos são afetados pela investigação em todo o mundo

Berlim | AFP

A montadora de automóveis Opel, subsidiária do grupo PSA, é alvo de uma investigação das autoridades alemãs com relação ao escândalo dos motores diesel manipulados para registrar emissões mais baixas em testes de poluição, anunciou no sábado o Ministério dos Transportes da Alemanha.

"Há uma audiência oficial sobre a Opel quanto a três modelos, por violação das regras Euro 6 (de emissões de poluentes por motores diesel)", disse um porta-voz do ministério.

De acordo com o jornal alemão "Bild", os modelos que estão sendo investigados são o Cascada, Insignia e Zafira. No total, 60 mil veículos são afetados pela investigação em todo o mundo, dos quais 10 mil na Alemanha.

Esses modelos superariam "em mais de 10 vezes" o limite de emissão de poluente prescrito, no caso do óxido de nitrogênio

Dieselgate

O escândalo dos motores manipulados explodiu em setembro de 2015, quando a Agência de Proteção Ambiental (EPA) dos Estados Unidos acusou a Volkswagen de ter equipado 11 milhões de veículos diesel, entre os quais 600 mil vendidos nos Estados Unidos, com um programa capaz de adulterar os resultados de testes de emissão de poluentes, dissimulando emissões até 40 vezes superiores às normas em vigor.

Funcionários da Volkswagen destruíram, na época, documentos como parte de um amplo acobertamento quanto aos motores usados em 590 mil carros vendidos nos Estados Unidos. Depois que a EPA revelou publicamente a trapaça da montadora alemã quanto às emissões, em setembro de 2015, a investigação interna da empresa recuperou muitos dos arquivos apagados e os entregou à promotoria.

Diversos executivos de primeiro escalão da Volkswagen, entre os quais o ex-presidente executivo da companhia, Martin Winterkorn, estão sendo investigados por fraude, manipulação de cotações de ações e publicidade enganosa.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.