Noruega e União Europeia pedem que OMC discuta tarifas dos EUA sobre aço e alumínio

Donald Trump afirma que medida serve para proteger siderúrgicas americanas

Oslo (Noruega)

 A União Europeia, a Noruega e outros países pediram nesta quinta-feira (18) que a OMC (Organização Mundial do Comércio) crie um painel de resolução de disputas sobre as tarifas de aço e alumínio impostas pelos Estados Unidos.

Os EUA impuseram tarifas de 25% sobre importações de aço e de 10% sobre importações de alumínio, em vigor desde 23 de março, no que o presidente americano, Donald Trump, disse ser uma medida para proteger siderúrgicas dos EUA.

"Acreditamos que a tarifa adicional sobre o aço e o alumínio é contrário às regras da OMC", disse a ministra de Relações Exteriores da Noruega, Ine Eriksen Soereide, em comunicado.

"Portanto, junto com a UE e vários outros, pedimos hoje à OMC que estabeleça um painel de resolução de disputas sobre as tarifas adicionais dos EUA", acrescentou.

A Noruega disse que as consultas iniciais com os EUA não levaram a uma solução satisfatória.

As exportações norueguesas de aço e alumínio nas categorias afetadas por tarifas adicionais chegaram perto de 36 bilhões de coroas norueguesas (US$ 4,36 bilhões ou R$ 16 bilhões) em 2017, de acordo com o Ministério das Relações Exteriores.

"Embora nossas exportações para os EUA de aço e alumínio sejam modestas, este caso é de fundamental importância", disse Soereide. "Uma economia aberta como a Noruega depende do funcionamento multilateral do sistema."

A União Europeia é de longe o maior mercado de aço e alumínio da Noruega.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.