Avianca consegue suspender perda de posse de aviões por mais 15 dias

Companhia aérea está em processo de recuperação judicial desde dezembro

Joana Cunha
São Paulo

Em recuperação judicial desde dezembro, a companhia aérea Avianca Brasil conseguiu nesta segunda-feira (14) prorrogar a suspensão da reintegração de posse de parte das aeronaves de sua frota por mais 15 dias. 

A prorrogação foi concedida na primeira audiência de conciliação deste ano presidida pelo juiz Tiago Henriques Papaterra Limongi, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, e impede que as empresas de arrendamento retomem os aviões durante o período. 

O voo doméstico mais curto da Avianca, e também o mais rápido, é de Goiânia/GO para Brasília/DF: são percorridos 163 km em 45 minutos.
Aeronave da Avianca; empresa conseguiu prorrogar reintegração de posse de parte das aeronaves - Divulgação Avianca

Participaram da reunião, além de representantes da Avianca Brasil, membros da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), representantes de arrendadores como Wells Fargo Trust Company National Association, Constitution Aircraft Leasing e outros.  

A empresa terá de apresentar até o dia 1° de fevereiro as propostas de pagamento das dívidas vencidas ou um plano de devolução das aeronaves. Ela também se compromete a realizar pagamentos que estão para vencer a partir do dia 1º de fevereiro  nas datas previstas pelos contratos originais.  

Se a Avianca Brasil não cumprir tais obrigações, a reintegração das aeronaves poderá, então, ser feita automaticamente. 

Por outro lado, caso a Avianca Brasil cumpra as obrigações acordadas na audiência desta segunda-feira, mas os arrendadores das aeronaves não concordem com as propostas apresentadas pela companhia aérea, haverá outra audiência para decidir novamente pela prorrogação ou não da suspensão da retomada. 

Em nota divulgada após o fim da audiência, a empresa afirmou que está operando normalmente e que seus pousos e decolagens estão mantidos nos cronogramas estabelecidos anteriormente.

"A companhia comunica que, no momento, segue com foco total na continuidade de suas operações e na elaboração do plano de recuperação judicial, que será apresentado em breve".

Já foram devolvidas três aeronaves, mas, segundo a empresa, a medida já estava prevista e planejada desde agosto de 2018.

As devoluções, segundo a empresa, fazem parte de "um processo de adequação da frota à demanda de passageiros e reestruturação da malha da empresa ao cenário atual do país". 

A questão crucial para a Avianca Brasil agora é garantir que as vendas de passagens não sejam afetadas pelo noticiário negativo, comprometendo as receitas futuras. Ao pedir recuperação judicial, em dezembro, a companhia disse que corria o risco de deixar sem voar 77 mil passageiros com bilhetes comprados.

Ao obter a concessão do pedido de recuperação judicial na ocasião, a Avianca Brasil também recebeu uma decisão judicial favorável prorrogando o prazo de proteção contra os pedidos de retomada dos aviões com possibilidade de renovação.

A nova prorrogação da suspensão da reintegração de posse dos aviões concedida nesta segunda-feira ajuda a empresa a atravessar o período de alta temporada de vendas de verão.     

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.