SpaceX, empresa de foguetes de Elon Musk, vai cortar 10% da força de trabalho

Companhia cita 'desafios extraordinariamente difíceis pela frente'

Bangalore (Índia)

A empresa de foguetes de Elon Musk, a SpaceX, cortará cerca de 10% dos seus mais de 6.000 funcionários, disse a companhia na sexta-feira (11), citando "desafios extraordinariamente difíceis pela frente".    

"Para continuar entregando para nossos clientes e ter sucesso no desenvolvimento de espaçonaves interplanetárias e uma internet global baseada no espaço, a SpaceX deve se tornar uma empresa mais enxuta. Qualquer um desses desenvolvimentos, mesmo quando tentados separadamente, faliram outras organizações", disse um porta-voz por email.

Em junho, Elon Musk demitiu pelo menos sete pessoas da equipe de gerenciamento sênior que liderava o projeto de lançamento de um satélite SpaceX. As demissões foram relacionadas a divergências sobre o ritmo em que a equipe estava desenvolvendo e testando seus satélites Starlink.     

O programa Starlink da SpaceX compete com a OneWeb e a canadense Telesat para ser o primeiro a comercializar um novo serviço de internet via satélite.    

A reorganização administrativa envolveu Musk trazer novos gerentes da sede da SpaceX na Califórnia para substituir vários gerentes que ele demitiu em Seattle.    

No mês passado, a SpaceX lançou sua primeira missão espacial de segurança nacional dos Estados Unidos, quando um foguete SpaceX carregando um satélite de navegação militar dos Estados Unidos partiu de Cabo Canaveral, na Flórida.

Reuters

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.