Cade aprova parceria entre Azul e Correios para transporte de cargas

Aérea deterá 50,01% da operação e Correios ficarão com os 49,99%

São Paulo | Reuters

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) anunciou ter aprovado nesta quarta-feira (13) a criação da joint venture formada pela companhia aérea Azul e os Correios para serviços de transporte de carga e malas postais.

Segundo o órgão antitruste, o negócio permite maior efetividade no transporte oferecido pelos Correios e o uso mais rentável dos porões dos aviões da Azul, bem como das suas rotas. A Azul deterá 50,01% da operação, enquanto os Correios ficarão com os 49,99% restantes.

000
Avião da companhia aérea Azul no aeroporto de Ribeirão Preto - Edson Silva/Folhapress

A parceria, anunciada no fim de 2017, já havia sido aprovada sem restrições em dezembro passado pela superintendência-geral do Cade, que entendeu que a operação não levanta preocupações concorrenciais, mesmo após a filial da Latam no país alegar que a parceria eliminará demanda de um grande consumidor, já que os Correios passariam a usar a Azul com exclusividade para transporte aéreo de cargas.

"Foram afastadas quaisquer preocupações concorrenciais, porque a receita advinda do transporte de cargas não é expressiva o suficiente para afetar o mercado de transporte aéreo de passageiros", diz trecho do voto do conselheiro Maurício Oscar Bandeira Maia, que teve aprovação unânime.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.