Governo definirá 60 projetos de infraestrutura para realizar estudos

Herança de Temer, leilões feitos neste ano

Ivan Martínez-Vargas
São Paulo

O PPI (Programa de Parcerias e Investimentos) deverá qualificar 60 projetos de infraestrutura para estudos na primeira reunião de seu conselho neste ano, segundo o secretário especial do órgão, Adalberto Vasconcelos.

“Já concluímos 23 projetos em 2019, iniciados no governo anterior. Na semana que vem, vamos qualificar principalmente projetos nas áreas de rodovias, linhas de transmissão, óleo e gás e cessão onerosa”, disse ele durante evento da Fespsp (Fundação Escola de Sociologia e Política), em São Paulo, nesta sexta-feira (26).

O número referente às conclusões inclui o leilão de aeroportos, portos e da ferrovia Norte-Sul, planejados pelo órgão durante o governo Temer, mas que foram concluídos nos 100 primeiros dias do governo Bolsonaro.

Ao todo, foram R$ 6,87 bilhões de investimentos contratados. Os pagamentos que as empresas que venceram os certames terão de fazer à União alcançarão cerca de R$ 8 bilhões ao fim dos contratos —além dos R$ 5,8 bilhões iniciais, os editais preveem remunerações mensais ao longo das concessões.

O PPI, ligado hoje à Secretaria de Governo da Presidência, também já definiu como será o decreto de relicitação de concessões que passam por problemas (como é o caso do aeroporto de Viracopos), segundo Vasconcelos. Ele não quis, porém, detalhar seu conteúdo.

“[O documento] está na subchefia de assuntos jurídicos da Presidência, que levará um parecer ao presidente. A ideia é publicar o mais breve possível”, afirmou.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.