Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Bolsonaro diz que decidirá no prazo máximo sobre sanção a bagagem gratuita em voos nacionais

Presidente diz que, se seguisse o coração, optaria por sancionar o texto com a gratuidade

Talita Fernandes
Brasília

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (23) que vai decidir sobre a gratuidade de bagagens em viagens de avião "nos 48 minutos do segundo tempo". Ele tem até 15 dias para sancionar total ou parcialmente o texto que trata do tema e abre 100% do setor aéreo brasileiro ao capital estrangeiro. 

A medida provisória, convertida em lei na quarta pelo Congresso, foi apresentada pelo governo de Michel Temer e aprovada num momento em que a oferta de passagens aéreas no país pode diminuir com a decretação de falência da Avianca. 

Hoje, as empresas aéreas não são obrigadas a conceder de forma gratuita o direito ao despacho de malas

A declaração de Bolsonaro foi feita durante café da manhã com jornalistas, no Palácio do Planalto, segundo participantes do evento. Estiveram presentes veículos como Globo News, Metrópoles e Radio Band News. A Folha não foi convidada. 

Segundo ele, embora tenha se declarado como liberal, se ele fosse seguir o coração optaria por sancionar o texto como foi aprovado pelo Congresso, mantendo a gratuidade. 

Há questionamentos do mercado sobre se esse ponto não impediria a entrada de empresas low cost —de baixo custo— no país. 

O presidente disse ainda ter dado "sinal verde" para a privatização dos Correios. Questionado sobre quais estatais não pretende conceder à iniciativa privada, citou o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. 

Bolsonaro disse que conversará com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na próxima semana para modificar pontos da legislação sobre a CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Os planos do governo são de elevar de 20 para 40 pontos o máximo aceito para condutores no Brasil sem que tenham o documento suspenso. Ele ainda quer aumentar a validade da carteira dos atuais 5 para 10 anos. 

Ainda no encontro, Bolsonaro disse ser contrário à proposta do governador da Bahia, Rui Costa (PT), de cobrar mensalidades para alunos de universidades públicas que tenham boas condições financeiras. 

Para ele, isso levaria esses estudantes a buscar universidades estrangeiras. 

O presidente diz ainda que acredita mais na eficiência de "um bom curso técnico" do que na eficácia do ensino superior, dizendo que "diploma na parede" não é garantia de emprego. 

Lista de Participantes

  1. Allan dos Santos (Site Terça Livre) 
  2. Lilian Taham (Site Metrópoles)
  3. Andréia Sadi (Globo News)
  4. Ederson Granetto (SBT)
  5. Celso Freitas (RecordTV)
  6. Laurindo Ferreira (Jornal do Comério-PE)
  7. Alexandre Graziani (EBC)
  8. Paulo Eneas (Site Crítica Nacional)
  9. Tatiana Gouveia (Site Estudos Nacionais)
  10. Luciano Seixas (Rádio Nacional)
  11. Anderson Arcoverde da Silveira (Rede CNT)
  12. Denise Rothenburg (Rede Vida)
  13. Rodrigo Orengo (Rádio Band News)
  14. Daniela Albuquerque (Rede TV!)
  15. Paulo Silva Pinto (Site Poder 360)
  16. Telmo Flor (Correio do Povo - RS)
  17. Flávio Morg (Site Senso Incomum)
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.