Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Prometi que faria comércio com todo o mundo, sem viés ideológico, diz Bolsonaro

Nas redes sociais, presidente afirmou que pacto é histórico e trará benefícios enormes ao Brasil

Brasília

O presidente Jair Bolsonaro comemorou nesta sexta-feira (28) o fechamento de acordo de livre-comércio entre a União Europeia e o Mercosul.

Em mensagem nas redes sociais, ele avaliou o pacto como histórico e disse que trará "benefícios enormes" para a economia brasileira. Ressaltou ainda que, com o acordo selado, cumpre promessa de campanha. 

"Prometi que faria comércio com todo o mundo, sem viés ideológico. Não foi retórica vazia de campanha, típica da velha política. É pra valer! Estou cumprindo mais essa promessa, que renderá frutos num futuro próximo", escreveu.

Segundo ele, juntos, os dois blocos comerciais representam um quarto da economia mundial e o pacto abre um 'enorme mercado" para os produtores brasileiros. 

O anúncio oficial do acordo deve ser feito em breve por presidentes de países dos dois blocos que estão reunidos em Osaka, no Japão, para participar do G-20.

Ainda não são conhecidos os principais termos do acordo, mas deve envolver mais de 90% do comércio, incluindo setores industriais e agrícola.

No caso da agricultura, deve haver concessão de cotas para açúcar, etanol e carnes.

O acordo entre Mercosul e União Europeia vinha sendo negociado desde 1999 e já esteve prestes a ser fechado outras vezes. 

O entendimento havia se tornando prioridade para a gestão de Jair Bolsonaro. 

O Ministério da Economia estima que o acordo UE-Mercosul deve representar um incremento de US$ 87,5 bilhões em 15 anos para o PIB brasileiro, podendo chegar a US$ 125 bilhões. 

De acordo com informações do Ministério das Relações Exteriores e do Ministério da Agricultura, o acordo comercial cobre temas tarifários e regulatórios, incluindo serviços, compras governamentais, barreiras, medidas sanitárias e propriedade intelectual. O pacto entre os países membros envolve 780 milhões de pessoas.

A União Europeia é a segunda maior compradora de bens do Mercosul (20%), atrás apenas da China. As exportações do quarteto sul-americano para os 28 países do bloco europeu totalizaram 42,6 bilhões de euros em 2018. No outro sentido, a UE vendeu o equivalente a 45 bilhões de euros. ​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.