Descrição de chapéu Financial Times

Pfizer e Mylan anunciam fusão de negócios de remédios genéricos e biossimilares

Transação criará empresa com faturamento anual de cerca de US$ 20 bilhões

Nova York e Londres | Financial Times

A Pfizer vai cindir sua divisão Upjohn e unir à Mylan, uma fabricante de remédios genéricos, para criar um gigantesco fabricante mundial de medicamentos sem patente com faturamento anual de cerca de US$ 20 bilhões (R$ 75,8 bilhões).

A transação, que será paga em ações, unirá remédios de grande sucesso quando eram protegidos por patentes, como Lipitore Viagra, com a linha de genéricos novos e biossimilares da Mylan, estendendo seu alcance à China e outros mercados emergentes. As empresas não estimaram o valor de mercado da nova unidade.

Logo da Pfizer em Nova York - Andrew Kelly-10.jul.2018/Reuters

​Albert Bourla, presidente-executivo da Pfizer, disse que a nova empresa seria uma "campeã da saúde mundial".

"Ao levar os ativos em crescimento da Mylan aos mercados em crescimento da Upjohn, criaremos uma companhia financeiramente forte com alcance verdadeiramente mundial", ele afirmou.

A Pfizer está tentando concentrar seu negócios em torno de medicamentos mais inovadores e de valor mais alto, e isso inclui cindir sua operação de produtos de consumo em forma de uma joint venture com a unidade de produtos semelhantes da companhia farmacêutica britânica GSK, anunciada no final do ano passado.

A nova empresa terá 57% de suas ações em mãos dos acionistas da Pfizer e 43% em mãos dos acionistas da Mylan, que trocarão suas ações na empresa pelas da nova companhia em base de uma por uma.

Usando uma estrutura de "Morris Trust reverso", que combina uma cisão a uma fusão, a transação deve ficar isenta de impostos para os acionistas da Pfizer mas será tributável para os investidores na Mylan.

A expectativa é de que a nova empresa tenha faturamento de entre US$ 19 bilhões e 20 bilhões (R$ 72,01 bilhões e R$ 75,8 bi) anuais, e lucros ajustados de entre US$ 7,5 bilhões e US$ 8,5 bilhões (R$ 28,4 bi e R$ 32, 2 bi) ao ano. A expectativa é de que a união promova sinergias de US$ 1 bilhão (R$ 3,7 bi) ao ano até 2023.

​​Heather Bresch, presidente-executiva da Mylan, vai se aposentar depois de oito anos no posto, quando a transação for concluída, e o vice-presidente financeiro Ken Parks também deixará o posto.

A nova empresa, cujo nome ainda não foi anunciado, será comandada por Michael Gottler, atual comandante das operações da Upjohn, e Robert Coury, presidente do conselho da Mylan, será presidente do conselho executivo.

As ações da Mylan subiram em mais de 23% antes da abertura do mercado na segunda-feira, para US$ 22,74 (R$ 86,19), e as Pfizer mostravam queda de menos de 1%, para US$ 42,76 (R$ 162,07).

Financial Times, tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.