Empresários, altos executivos e políticos lamentam a morte de Lázaro Brandão

Ex-presidente do conselho de administração do Bradesco morreu nesta quarta, aos 93 anos

Raquel Landim Ivan Martínez-Vargas
São Paulo

O ex-presidente do conselho de administração do Bradesco, Lázaro de Mello Brandão, 93, morreu nesta quarta-feira (16) em São Paulo. Ele estava internado no Hospital Edmundo Vasconcelos, em São Paulo, para recuperação de uma cirurgia de diverticulite.

O executivo deixa mulher, duas filhas e um neto —uma terceira filha já havia morrido. Brandão ocupava a função de presidente das empresas controladoras do Bradesco, empresa na qual atuou por quase toda a vida —ficou na instituição por 76 anos.

Empresários e altos executivos lamentaram a morte de Brandão. Confira:

Octavio de Lazari Junior, presidente Bradesco

“Lázaro de Mello Brandão marcou não apenas a história do Bradesco, onde começou como funcionário desde o início das atividades, em março de 1943, mas também a história pessoal de todos nós. Seu profundo conhecimento sobre o mercado financeiro, e a visão sóbria e exata da economia brasileira, foram fundamentais para a construção do Bradesco e de toda uma cultura de negócios que marcou várias gerações de executivos. Não foram poucas as ocasiões em que uma decisão sua simplificava processos e solucionava as mais intrincadas dúvidas. Seu Lázaro dedicou 76 anos de sua vida ao Bradesco. Destes, mais de meio século na alta gestão da empresa. Em todas as posições –como diretor, vice-presidente, presidente do banco, presidente do conselho de administração– tinha um ritmo de trabalho intenso e vigoroso, que nos contagiava. Era dos primeiros a chegar à nossa sede administrativa, na Cidade de Deus, e fazia questão de incutir em todos nós os valores que orientam o Banco há mais de sete décadas. Entre os empresários brasileiros ele firmou posição de liderança e tornou-se referência, com seu estilo calmo, discreto, mas decidido. Ele construiu, ao lado de Amador Aguiar, uma das empresas de maior sucesso no Brasil.”

Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente do conselho de administração do Bradesco

Com imenso sentimento de pesar, o Banco Bradesco S.A. (“Bradesco”) comunica aos seus acionistas, clientes e ao mercado em geral o falecimento, nesta data, do senhor Lázaro de Mello Brandão, Presidente das suas holdings. Nascido em Itápolis, SP, tinha 93 anos, era economista e deixou esposa, duas filhas e um neto. Iniciou sua atividade profissional em 1942, na cidade de Marília, como escriturário na então Casa Bancária Almeida & Cia., que se transformou, em 1943, no Bradesco. Em 1945, transferiu-se para a Capital do Estado, no centro bancário. Em 1953, fixou-se na atual sede administrativa, em Osasco, na batizada Cidade de Deus. Dedicou-se ao longo dessa jornada às mais variadas funções, tendo se empenhado nas reestruturações administrativas. Galgou a escala ascendente da hierarquia e em 1963 passou a compor a Diretoria Executiva. Em 1981, assumiu a Presidência Executiva e, em 1982, a Vice-Presidência do Conselho de Administração, passando à Presidência do Órgão em fevereiro de 1990, renunciando em 10 de outubro de 2017. Permaneceu como Presidente das empresas controladoras do Bradesco. Em ambos os cargos, sucedeu ao mítico Amador Aguiar. Homem de visão de futuro e inesgotável capacidade de trabalho, foi uma personalidade marcante, que influenciou a todos que com ele conviveram. Será sempre lembrado pelo talento, honradez e capacidade empreendedora. Perde o sistema financeiro um dos mais ilustres e tradicionais representantes, que sempre soube guiar-nos pelos elevados ideais de honestidade, coerência profissional e dedicação. As lições que deixou certamente continuarão a influenciar positivamente as atuais e futuras gerações. Nesse momento de dor, a Organização Bradesco leva aos familiares do querido Brandão o seu abraço solidário, desejando que Deus o receba no esplendor de Sua Glória. Para a Família Bradesco, foi uma honra trabalhar, conviver e ser inspirada por esse ícone e grande líder, cuja ausência será muito sentida.

Roberto de Oliveira Campos Neto, presidente do Banco Central do Brasil 

Foi com pesar que recebi a notícia do falecimento de Lázaro Brandão. Como homem da indústria bancária, Lázaro marcou sua trajetória pelo espírito inovador e empreendedor. Foi um verdadeiro pioneiro dos nossos tempos. Expresso minhas condolências aos familiares, amigos e a todo corpo funcional do Bradesco neste momento de dor.

Família Safra, Banco Safra

Joseph Safra, Vicky e família manifestam profundo pesar pelo falecimento de Lázaro Brandão. Lázaro foi um grande homem de caráter ímpar, cuja dedicação e profissionalismo deixam um grande legado refletido nas almas e corações da grande família Bradesco. 

Candido Botelho Bracher, presidente do Itaú Unibanco

É com muita tristeza que recebemos nesta manhã a notícia do falecimento do amigo Lázaro de Mello Brandão, o seu Brandão, como era mais conhecido. Executivo de carreira ímpar e longeva no setor financeiro, seu Brandão foi personagem-chave não apenas para a construção de um dos maiores bancos do mundo, mas também para o desenvolvimento da economia brasileira nas últimas décadas. Pessoa íntegra e dedicada ao trabalho e à família, deixa sua marca e boas lembranças para todos nós. Em nome da comunidade Itaú Unibanco, presto condolências aos amigos, familiares e colegas que tiveram o privilégio de estar ao lado do seu Brandão. 

Sergio Rial, presidente do Santander Brasil

O banqueiro Lázaro Brandão foi um dos pilares na construção de uma organização contemporânea e à frente do seu tempo. Pensava em tecnologia e clientes muito antes, e, construiu uma das culturas mais sólidas de um grupo corporativo no Brasil. A ele, em nome da família Santander, deixo nosso agradecimento por ter liderado a indústria durante muito tempo e deixado um legado de valor inestimável.

Citi Brasil

O Citi Brasil expressa seu pesar com o falecimento do sr. Lázaro Brandão, um dos mais importantes executivos do mercado financeiro. Nos solidarizamos com a dor dos familiares, amigos e funcionários que conviveram com ele nas esferas profissional e pessoal

Rubem Novaes, presidente do Banco do Brasil

Lázaro Brandão contribuiu sobremaneira para o fortalecimento do sistema financeiro nacional, ao liderar o crescimento de um dos maiores bancos do país. Sua vida foi um legado de determinação e compromisso com o Brasil. O país sentirá sua ausência.

Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal

Tinha uma paixão pelo banco e é um exemplo para todo o mercado financeiro. A Caixa Econômica Federal presta suas condolências à família e aos milhares de colaboradores das empresas Bradesco pela morte de seu ex-presidente do conselho de administração, Lázaro de Mello Brandão. Dentre as muitas iniciativas que liderou, sem dúvida, Brandão ampliou o universo da atividade bancária em todo o Brasil nas últimas décadas.

Murilo Portugal, presidente da Febraban (Federação Brasileira de Bancos)

Em nome da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), o presidente da instituição, Murilo Portugal, manifesta seu profundo pesar pelo falecimento de Lázaro de Mello Brandão, presidente das holdings do Bradesco, nesta quarta-feira (16), aos 93 anos. Brandão começou sua bem-sucedida trajetória no setor bancário brasileiro em 1942 como escriturário na então Casa Bancária Almeida & Cia., que se transformou no ano seguinte no Bradesco. Desde então, construiu uma brilhante e competente carreira na instituição, onde passou pelas mais variadas funções, confirmando a tradição do banco de valorização de seus quadros profissionais até chegar ao topo da hierarquia, como presidente executivo e também como presidente do conselho de administração do banco. Atento às transformações tecnológicas do setor, das quais foi um dos principais líderes, no comando do Bradesco, Lázaro Brandão sempre defendeu valorizar as inovações a serviço do atendimento personalizado aos clientes. Foi um dirigente ativo e consciente do papel dos bancos no apoio ao desenvolvimento da economia nacional. “É com grande tristeza que recebi a notícia do falecimento de Lázaro de Mello Brandão, a quem conheci desde 1992, quando fui secretário do Tesouro. Um dos mais importantes e significativos representantes da história do setor bancário de nosso país e da América Latina. Além de um grande banqueiro, ele foi um grande brasileiro e um gentleman”, lamentou Murilo Portugal, que está em Washington na reunião do FMI. “O ‘Seu Brandão’, como era carinhosamente chamado por todos do setor, sempre será lembrado por sua simplicidade, humildade, liderança ativa e conciliatória, visão de futuro e inesgotável dedicação ao trabalho; aqui na Febraban, participou por dois mandatos como integrante do conselho diretor da entidade, entre os anos de 1995 e 2001. No meu período tive a honra e oportunidade de receber suas orientações e conselhos sempre pertinentes. Com sua atuação permanecerá como um exemplo inspirador para todos nós.” 

Jorge Paulo Lemann, sócio  investidor do 3G Capital

Sempre fui um grande admirador do que o Amador Aguiar construiu e o Lázaro deu continuidade. A durabilidade eficiente de qualquer instituição deve ser a meta de todo executivo ou dono. Nota dez para o Lázaro.
 

Horacio Lafer Piva, membro do conselho de administração da Klabin e ex-presidente da Fiesp

O Bradesco é uma referencia no Brasil, fruto da genialidade do sr. Amador Aguiar e do empenho de uma vida do sr. Brandão, pessoa de rara elegância, compromisso e sagacidade. Somos todos devedores de sua dedicação, e há poucas carreiras tão eficazes, como banqueiro e homem de relações. A Klabin tem uma vida de parceria, toda pavimentada pelo sr. Brandão. Hoje vivemos um dia triste, mas agradecidos pelo que pudemos construir com este discreto e enorme representante do desenvolvimento nacional.

Conselho de Administração da Votorantim S.A.

Lamentamos o falecimento do Sr. Lázaro Brandão, um dos mais importantes profissionais do mercado financeiro do Brasil. Seu legado é uma inspiração de compromisso com o trabalho, com a ética e com o país. Somos honrados por termos compartilhado de momentos ao seu lado. Nossa solidariedade a toda família e aos colegas do Bradesco.

Pedro Passos, sócio-fundador da Natura

Dr. Lázaro Brandão é parte de uma geração de líderes empresariais que mudou a história do país. Sua generosidade e visão de mundo possibilitou a SOS Mata Atlântica desenvolver ferramental de excelência no monitoramento da cobertura florestal do bioma. Dr. Lázaro sempre fez a diferença. Uma grande perda para o Brasil. 

Josué Gomes da Silva, presidente da Coteminas 

Lázaro Brandão deu prosseguimento à grande obra iniciada por Amador Aguiar, que sabiamente o escolheu como seu sucessor. Dr. Brandão liderou o Bradesco, levando-o a ser uma das empresas mais admiradas e respeitadas do Brasil. Sob seu comando, o Bradesco fortaleceu parcerias com o setor produtivo nacional, com isso desempenhando papel relevantíssimo no desenvolvimento do nosso país

Flávio Rocha, dono da Riachuelo 

Lázaro foi um exemplo de trabalho e dedicação. Foi sob sua direção que o Bradesco se tornou uma potência e o maior banco privado do Brasil. Tive o prazer de estar com ele em algumas ocasiões e era um homem absolutamente devotado ao trabalho. É, realmente, um símbolo de uma carreira exemplar.

Daniel Randon, diretor-executivo da Randon

Estamos sentidos pela perda do Lázaro Brandão. As empresas Randon completam 70 anos em 2019 e o Bradesco, desde o primeiro dia, tem sido nosso parceiro. Lázaro Brandão, além de ter acompanhado a empresa, foi muito amigo do meu pai [Raul Randon, morto em 2018]. Sem dúvida ele é um ícone do empresariado brasileiro, não somente pelo trabalho que fez de elevar o Bradesco a essa potência que temos hoje, mas principalmente porque sempre levou aos empresários uma visão de Brasil mais forte, pujante. Ele sempre olhava oportunidades do Brasil.

Nestes anos de parceria só temos lembranças boas. No ano passado, tive a oportunidade de, em uma visita institucional, estar com ele. Com seus 92 anos, estava acompanhando o dia a dia do banco daquela sua maneira simples. Nós tivemos vários momentos importantes da Randon em que o Bradesco fez parte. O banco continua sendo um dos principais parceiros da Randon, também pela maneira que seu Brandão tratava os clientes, como parceiros de longo prazo.

Eugênio Mattar, presidente da Localiza

Expressamos nosso pesar pela passagem do senhor Lázaro, que deixa um legado único de dedicação ao trabalho, à ética na condução dos negócios no grupo Bradesco e no investimento social pela educação na Fundação Bradesco. Um exemplo para inspirar a todos os brasileiros que trabalham para promover o desenvolvimento do Brasil.

Pedro Parente, presidente do Conselho de Administração da BRF  

O Dr. Lázaro Brandão ensinou a muitos e fui um deles. Foi em uma conversa pessoal que o Dr. Lázaro Brandão decidiu liderar o pool de bancos numa das mais complexas renegociações de dívidas que liderei no setor privado. Aprendi com ele sobre a força da palavra dada, da negociação baseada em valores e da responsabilidade de liderar.

Perdemos hoje um homem honrado, uma figura pública rara e que soube fazer a diferença ao longo de sua vida.

Lorival Luz, presidente-executivo da BRF

O Dr. Lázaro Brandão, com sua cordialidade, dedicação e visão de futuro faz parte da nossa história. Com seu trabalho incansável, ele ajudou a construir uma companhia que está entre as melhores e mais respeitadas do mundo. Ao mesmo tempo, contribuiu para consolidar um sistema financeiro sólido, capaz de alavancar o desenvolvimento do nosso país. 

 
O Dr. Lázaro Brandão deixa um legado inestimável como figura pública e líder. A BRF se inspira no exemplo, valores e princípios que ele representa.

Claudio Lottenberg, presidente do conselho de administração da UnitedHealth

Uma das pessoas de maior referência em termos de tenacidade, seriedade e compromisso. Um homem que sem dúvida alguma tinha, além do conhecimento técnico da área à qual se dedicava, uma visão muito responsável a respeito do impacto junto à sociedade que ele servia. O Brasil perdeu uma grande alma. 

Paulo Caffarelli, presidente da Cielo

É com imenso pesar que recebemos a notícia do falecimento de Lázaro Brandão. Exemplo de dedicação ao trabalho, Seu Brandão, como era conhecido, participou intensamente da história do Bradesco e ajudou a transformar o banco em uma das instituições brasileiras mais sólidas e respeitadas. Entre inúmeras realizações, foi fundamental para a criação e fortalecimento da Cielo. Ele deixa um legado sem igual para as futuras gerações. A Cielo presta condolências aos familiares, amigos, aos colaboradores do Bradesco e a todos aqueles que tiveram o privilégio de conviver e aprender com o Seu Brandão.

J&F Investimentos

Nossos mais sinceros sentimentos a toda instituição Bradesco e à família do sr. Lázaro de Mello Brandão pelo seu falecimento.

Ordelio Azevedo Sette, fundador do escritório Azevedo Sette Advogados

O dr. Lázaro passa para a história do Bradesco, como uma pessoa que era a imagem da própria instituição, sucedendo com absoluta identidade de pensamento e modo de ser, ao seu antecessor dr. Amador Aguiar. Homem de notável cultura e energia, totalmente dedicado ao trabalho, como de fato foi até seus 94 anos de idade. Fui apresentado a ele há cerca de 40 anos atrás, pelo dr. Amador e guardo dele o sentimento de simplicidade e objetividade, aliado a sua inegável competência profissional. Um homem digno e correto, que respeitava a todos e sabia ouvir.

Paulo Coelho da Rocha, sócio-diretor do escritório de advocacia Demarest

Lázaro Brandão foi um homem e um empresário com uma visão singular dos negócios e do cenário brasileiro. Deixa um legado importante de contribuição para a construção do sistema financeiro e para o desenvolvimento econômico de todo o país.

José Eduardo Carneiro Queiroz, sócio-diretor do escritório Mattos Filho

Ele foi uma figura marcante na economia brasileira e em nosso sistema financeiro. Liderou e ajudou a construir por muitas décadas uma das maiores instituições financeiras da América Latina. Sua dedicação e visão da instituição continuará a impactá-la por muitos anos.

Antonio Delfim Netto, ex-ministro da Fazenda e do Planejamento e colunista da Folha  

Sua contribuição foi muito grande para o desenvolvimento do Brasil. Junto com o Amador Aguiar, criaram um banco preocupado com os "pequenininhos" e voltado também para a agricultura. Tinham uma visão diferente, e por isso desenvolveram um sistema bancário diferente. Havia nele também um aspecto religioso, basta ver a grande obra social que deixou. Foi um dos maiores banqueiros que o Brasil já teve. 

Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados

Em nome da Câmara dos Deputados, manifesto meu pesar pela morte de Lázaro Brandão, um homem inovador que participou de decisões econômicas brasileiras por um longo período, especialmente naquelas relacionadas ao sistema bancário nacional. Minha solidariedade à família e aos amigos.

João Doria, governador de São Paulo

Meus sentimentos pela morte de Lázaro de Mello Brandão, meu querido amigo. O Brasil perde um empreendedor nato, um otimista, um homem que sempre acreditou no seu povo e no seu País. O Brasil sentirá falta do seu sorriso, da sua lucidez e do seu entusiasmo pelo trabalho e pelas boas causas. Minha solidariedade aos familiares, amigos, diretores e funcionários do Bradesco.

Guilherme Afif Domingos, ex-presidente do Sebrae

Brandão foi um grande aliado das nossas causas do meu tempo na Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Foi ele, junto com o seu Amador Aguiar, que apoiaram o congresso que aprovou o Estatuto da Microempresa. Sob o seu comando, e do Luiz Carlos Trabuco, o Bradesco foi sem dúvida um parceiro da nossa causa. Ele para nós é inesquecível.

Robson Braga de Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) 

Em nome da CNI (Confederação Nacional da Indústria), lamento profundamente o falecimento do ex-presidente do conselho de administração do Bradesco, Lázaro de Mello Brandão, ocorrido nesta quarta-feira (16), em São Paulo. Ao longo de 76 anos de carreira no banco, Lázaro Brandão exerceu diversas funções, sempre com empenho e paixão, tendo começado como escriturário até alcançar os mais elevados postos na instituição financeira. Elogiado por todos pela cordialidade, simplicidade e respeito nas relações pessoais, o executivo era conhecido pela magnífica capacidade de trabalho e pela dedicação com que tratava dos assuntos do banco. Nos debates sobre os mais importantes temas da economia e da política brasileiras, Lázaro Brandão era consultado por governantes e empresários, sempre guardando a discrição que lhe era peculiar. Sua voz serena vai fazer uma imensa falta ao país. Neste momento de pesar, os pensamentos daqueles que fazem a indústria nacional se voltam para a família e os amigos de Lázaro Brandão, assim como para todos os funcionários do Bradesco, na intenção de que encontrem conforto no legado desse brasileiro exemplar.

Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp

Foi com profundo pesar que recebi a notícia da morte do grande brasileiro Lázaro Brandão por quem eu tinha enorme estima. Ao longo de mais de sete décadas de trabalho, ele transformou o Bradesco em uma das mais importantes instituições financeiras do país. Construiu uma das mais brilhantes carreiras do mundo empresarial com garra, competência e espírito empreendedor. Ele era um exemplo para todos. Era uma pessoa amável, simples, humana e dono de um imenso carisma. Estivemos juntos recentemente. Como sempre, nosso encontro foi uma verdadeira lição de vida. Lázaro Brandão mantinha o olhar aguçado e a crença em um Brasil melhor. Nós da indústria lamentamos o seu falecimento e nos solidarizamos com sua família, com seus amigos e com os conselheiros, diretores e colaboradores do Bradesco. 

Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro)

A Firjan expressa seu profundo pesar pelo falecimento do ex-presidente do Bradesco e do conselho de administração do banco, Lázaro Brandão. Considerado um dos banqueiros mais importantes da América Latina, ele dedicou mais de 75 anos de sua vida ao comando do banco que viu nascer e do qual foi sucessor de seu fundador, Amador Aguiar. Será sempre lembrado pelo seu talento, honradez e como um homem de extrema visão de futuro e empreendedora.

José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Abiplast (associação da indústria do plástico)

Lázaro é um grande brasileiro. Fez toda uma vida no Bradesco e sempre foi um dos banqueiros que mais pensava no Brasil, em desenvolvimento e crescimento do país. Tinha uma visão de estadista mesmo tendo atuado sempre em um setor. Foi uma grande perda para o Brasil.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.