Descrição de chapéu Reforma tributária

Guedes estuda imposto sobre transações financeiras por celular

Ministro negou que novo tributo seria uma nova CPMF e defendeu uma desoneração da folha de pagamentos

Brasília

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira (18) que o governo estuda incluir na reforma tributária um imposto sobre transações financeiras em meios digitais, como por aplicativos de celular ou via o internet banking.

Ao defender a proposta, ele argumentou que o novo imposto não seria igual à extinta CPMF, que sofreu críticas dentro do governo e foi barrada pelo presidente Jair Bolsonaro.

“A CPMF virou um imposto maldito, o presidente falou que não quer esse troço. Se ninguém quer, CPMF não existe”, disse.

O ministro ponderou que sua equipe continua examinando formas de ampliar as bases de incidência dos tributos como forma de compensar uma futura redução do encargo trabalhista, o que classifica como o mais cruel e perverso de todos os impostos.

De acordo com Guedes, as transações por meios digitais e instantâneos vão ganhar cada fez mais força e o governo precisa encontrar meios para viabilizar a tributação.

O ministro da Economia Paulo Guedes em evento do BNDES - Tânia Rêgo/Agência Brasil

“Nunca foi a CPMF, sempre foi transações. Como tributamos isso? Tem transações digitais. Você precisa de algum imposto, tem que ter um imposto que tribute essa transação digital”, disse.

O ministro explicou que a opção de compensar a desoneração da folha de pagamentos com aumento de tributos existentes hoje não seria viável porque os impostos já são muito altos.

A proposta estudada inicialmente pela equipe econômica previa um imposto sobre pagamentos mais abrangente. A ideia era que qualquer transação, inclusive aquelas feitas em papel moeda, fossem tributadas.

Após atritos no governo e a negativa de Bolsonaro, o então secretário da Receita Marcos Cintra acabou demitido.

"Temos o nosso conteúdo, estava pronto para ser disparado. Houve um descarrilamento, caiu um secretário da Receita. Na hora que caiu, reconfiguramos o time, continuamos fazendo as simulações que estávamos fazendo, já com tudo preparado para disparar", afirmou Guedes.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.