Descrição de chapéu Coronavírus

Maiores bancos do Brasil negociam vencimento de dívidas de empresas afetadas por coronavírus

Medida anunciada pela Febraban também beneficia pessoa física e faz parte de conjunto de medidas que setor financeiro avalia para blindar economia

São Paulo

Os cinco maiores bancos do país, Itaú Unibanco, Bradesco, Santander, Banco do Brasil e Caixa, estão abertos a discutir a prorrogação, por 60 dias, do vencimentos de dívidas de empresas, com destaque para micro e pequenos negócios, que venham a enfrentar problemas por causa do avanço do coronavírus no Brasil. A renegociação será valida também para pessoas físicas.

A medida foi anunciada nesta segunda-feira (16), por meio de nota, pela Febraban (federação que representa os bancos).

Logo do banco Bradesco - Paulo Whitaker/Reuters

Cada instituição definirá os critérios para aceitar o pedido.Cada instituição definirá os critérios para aceitar o pedido.

Em seu site, o Itaú afirma que serão aptas a pedirem a prorrogação do prazo clientes pessoas físicas que tiverem empréstimo pessoal (exceto consignado), crédito imobiliário e financiamento de veículos em dia. As taxas de juros serão mantidas e não haverá cobrança de multa nem de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

O Bradesco não respondeu. Os bancos públicos confirmaram a participação na ação, mas não deram detalhes sobre quais critérios que serão utilizados.

Segundo o presidente do Santander, Sérgio Rial, as medidas anunciadas pelo CMN devem ampliar a capacidade do banco em oferecer crédito para pessoas e empresas que tenham sua saúde financeira ameaçada pelos impactos da propagação do coronavírus.

"Há setores, inclusive, que precisarão de capital de giro em maior volume para prover os serviços de que a população necessitará durante esse período, como supermercados, farmácias e serviços de entrega", afirmou Rial.

"É nosso dever zelar para que o país possa seguir em sua trajetória de crescimento", afirmou o executivo, também sem dar detalhes de quais os critérios serão usados para aprovação da renegociação.

O Banrisul (Banco do Estado do Rio Grande do Sul) afirmou, em nota, que também adotará a medida de prorrogação de dívidas de clientes pessoas físicas e micro e pequenas empresas por 60 dias.

Segundo a instituição, o pagamento poderá ser feito em até quatro vezes e contará com 60 dias de carência --totalizando um prazo de 180 dias.

O banco gaúcho afirmou ainda que as modalidades de cartão de crédito, cheque especial e crédito consignado não estarão contempladas.

A iniciativa dos bancos acompanha uma decisão do CMN (Conselho Monetário Nacional). Em reunião extraordinária, nesta segunda-feira (16), o órgão superior do sistema financeiro anunciou medidas que liberam instituições financeiras para garantir fluxo de caixa às empresas que possam ter a rotina dos negócios afetada por uma redução ou mesmo pela paralisação das atividades com o avanço da doença no país.

Segundo a entidade, os bancos associados estão “sensíveis ao momento de preocupação dos brasileiros com a doença provocada pelo novo coronavírus, e vêm discutindo propostas para amenizar os efeitos negativos dessa pandemia no emprego e na renda”.

Na avaliação dos bancos, há risco de “choque profundo, mas de natureza essencialmente transitória”.

A Febraban também destacou que os bancos estão engajados em colaborar com a promoção de medidas de estímulo à economia, e que a rede de agências e demais canais de atendimento ficarão à disposição do público para prestar esclarecimentos.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.