Descrição de chapéu Coronavírus

Guedes afirma que país está longe de depressão para que BC emita mais moeda

Ministro já tinha dito algo semelhante durante reunião de comissão em abril

Brasília

O ministro Paulo Guedes (Economia) afirmou aos parlamentares na manhã desta terça-feira (30) acreditar que o país não precisa emitir mais moeda para enfrentar a crise do novo coronavírus. Para ele, isso só seria necessário caso o país estivesse em depressão econômica.

Em audiência pública com a comissão mista de acompanhamento das ações de combate à Covid-19, Guedes afirmou que a possibilidade de que o BC (Banco Central) emitir moeda e dívida para superar a crise ainda é distante.

Na avaliação do ministro, a medida só seria necessária caso o país estivesse se aproximando de uma depressão econômica.

“Se estivéssemos dessa situação, o juro praticamente desce pra zero e aí não há mais diferença entre títulos que pagam juros e moeda que não paga juro nenhum. Seria uma situação de depressão, a demanda por moeda vai ficar infinitamente elástica.”

Guedes já tinha dito algo semelhante durante a reunião da comissão em abril, ao responder as perguntas de parlamentares.

Ele voltou a citar que em uma situação em que a inflação estiver praticamente em zero e os juros desabarem, o país cairia em uma "armadilha da liquidez".

Isso significa que a queda da taxa de juros em tentativa de injetar dinheiro na economia não surtiria mais efeito.

Em vez de emprestar dinheiro a taxas prefixadas ou comprar títulos públicos, os bancos manteriam o dinheiro na tesouraria. A medida tentaria evitar perdas quando os juros subirem.

Entretanto, Guedes afirmou à comissão acreditar que o país não está nesta situação ainda.

​“Mas estamos muito longe dessa situação, não acredito que estamos indo para uma depressão".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.