Descrição de chapéu Aeroin

Itapemirim se beneficia do abundante mercado de Airbus A320 usados

Número de aeronaves disponíveis faz com que preço de arrendamento caia

São Paulo | Aeroin

A empresa aérea startup ITA Transportes Aéreos, braço aéreo do Grupo Itapemirim, planeja iniciar operações em março com dez jatos Airbus A320 na frota e tem objetivos de fazer esse número multiplicar ao longo dos próximos anos.

A escolha do modelo de aeronave faz sentido num momento em que há oferta abundante de profissionais qualificados para operá-la, egressos de empresas aéreas no Brasil e no mundo que tiveram que demitir pessoas, enquanto ajustavam suas estruturas ao “novo normal” imposto pela pandemia e pelas restrições de viagens que afugentaram a demanda de passageiros.

Além do fator humano, ainda há outro peso para a decisão, já que a superabundância de aeronaves disponíveis faz com que o preço de arrendamento caia. Essa máxima se aplica a, praticamente, todos os modelos de aviões, especialmente àqueles mais populares, como é o caso do Airbus A320.

Avião da Itapemirim
Ilustração de um modelo de avião da Itapemirim - Divulgação

Enquanto isso, a Itapemirim anunciou que assinou cartas de intenções (LOIs) para dez jatos. Embora não tenhamos acesso aos detalhes das negociações, é difícil não pensar que a empresa tenha se beneficiado do momento do mercado.

A320 sobrando

Foi sobre isso que a empresa aérea low cost americana Allegiant Air comentou na semana passada. Em entrevista à Bloomberg, o diretor finaceiro da empresa, Greg Anderson, disse que está sendo “inundado” com ofertas de empresas de leasing para arrendamento de aeronaves Airbus A320. Essa “chuva” de propostas começou, disse ele, depois que a empresa anunciou sua intenção de adicionar mais Airbus A320 de segunda-mão à frota no começo de 2021.

“É uma oportunidade para nós comprarmos A320 usados ​​com custos fixos mais baixos do que no passado. Estamos tentando manter o máximo de flexibilidade possível, mas temos convicção de que a demanda está voltando”, disse Anderson.

No início deste ano, a Allegiant Air, que tem um histórico de expansão de frota por meio do acréscimo de aeronaves de segunda mão, disse que analisaria oportunamente os A320 disponíveis durante a pandemia. Anderson disse que a operadora iria olhar tanto para pequenos negócios, cobrindo uma ou duas unidades, quanto para transações maiores, dependendo da demanda do mercado.

Ele está otimista quanto aos próximos anos. “Já no próximo ano, podemos começar a voltar a uma discussão de ganhos versus uma discussão de equilíbrio de fluxo de caixa. Se as coisas continuarem como têm sido nos últimos meses, uma construção lenta e constante, nos sentimos muito otimistas", diz.

A Allegiant Air opera 38 aviões A319 e 66 do modelo A320-200. A operadora se concentra totalmente nos mercados de lazer, que estão se recuperando mais rápido do que as rotas de negócios.

Custo do leasing

Em agosto de 2019, a Aeroin fez uma pesquisa com os custos de leasing de aeronaves novas e usadas. O contexto era outro, não havia pandemia e a aviação crescia no mundo todo. Naquela época, identificamos que os custos de leasing de um Airbus A320ceo, modelo que será usado pela Itapemirim, estava em torno de US$ 60mil (1990) a U$ 330 mil (2019).

Já em abril de 2020, durante a pandemia, consultorias especializadas calculavam que a desvalorização do valor de mercado e, consequentemente, do arrendamento do mesmo modelo de aeronave já havia caído 6%. Passados mais seis meses, esse percentual pode ter caído um pouco mais.

Tais “descontos” se calculados para uma frota completa de aeronaves, se traduzem numa economia significativa de custos fixos, importante para assegurar a rentabilidade num momento crucial para o setor aéreo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.