Descrição de chapéu jornalismo mídia

Sites encolhem desertos de notícia no Brasil

Segundo Atlas da Notícia, jornalismo digital preenche parte do vazio da cobertura local em regiões como o Nordeste

São Paulo

Em sua quarta edição, o Atlas da Notícia, um levantamento sobre jornalismo local no Brasil, afirma que os chamados "desertos de notícias" foram reduzidos em 5,9% em relação ao estudo divulgado em dezembro de 2019.

Agora são 3.280 municípios sem qualquer veículo local, ou seja, sem jornal, site, blog ou emissora de rádio e TV, contra os 3.487 registrados há cerca de um ano.

Em população, o encolhimento dos "desertos" teria sido maior, de 9,6%. Agora foram contados 33,7 milhões de habitantes sem acesso a cobertura local.

Foi o jornalismo digital que levou a "esses 5,9% a mais, na diminuição dos desertos", diz Angela Pimenta, diretora de operações do Projor (Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo), que realiza o levantamento.

Jornalistas em cobertura no Palácio do Planalto, Brasília - Pedro Ladeira - 19.08.20/Folhapress

Ela avisa que, em grande parte, "são sites com um, dois jornalistas, redações pequenas, em que seguir os protocolos de apuração, compromissos éticos, é muito desafiador".

O Atlas não considera jornalísticos e exclui do estudo aqueles editados oficialmente, como sites de Câmaras ou ligados a igrejas e a partidos políticos, mas evita fazer uma avaliação de qualidade do material.

Pimenta avalia que, como parte do que foi registrado agora é blog voltado para opinião, o levantamento pode indicar um efeito das campanhas municipais do ano passado.

E que não é possível "prever sua sustentabilidade, voltando à questão dos desafios que o jornalismo local vive, de financiamento contínuo".

Sérgio Spagnuolo, coordenador de dados e análise do Atlas, diz que "tem muita coisa acontecendo", com pequenas iniciativas digitais sobretudo no Nordeste.

"Muita gente usando a plataforma Blogger, bem simples, mas falando de assuntos da prefeitura, o que está rolando, com quem o prefeito se encontrou", descreve.

Sobre financiamento, cita casos como o de uma cidade no interior da Bahia em que o site serve de base para o responsável vender imóveis, como corretor.

O avanço do digital foi observado pelos pesquisadores em todas as regiões do país, com "impresso fechando mas um monte de iniciativa, de uma, duas pessoas, fazendo o noticiário".

Essa virada foi especial no Nordeste, diz ele. "Era o maior deserto em número de municípios e, nesta edição, perdeu o posto para o Norte".

No levantamento de dezembro de 2019, 73,5% das cidades nordestinas não tinham cobertura local. Na nova edição, a proporção caiu para 66,3%.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.